Mapeando comportamentos com estimação de pontos ideais

Rodrigo Martins

Resumo


Estimação de pontos ideais é uma metodologia de importância crescente na Ciência Política. Desenvolvida desde meados do século passado, seu vínculo com a teoria espacial do voto se mostrou frutífera em diversos campos de estudo, com grandes expectativas sobre seu desenvolvimento futuro. O objeto deste trabalho é apresentar o que é estimação de pontos ideais, e ilustrar didaticamente como aplicar uma das várias técnicas disponíveis, utilizando dados sobre a atuação parlamentar da Câmara dos Deputados no ano de 2019.


Palavras-chave


comportamento; preferências; ideologia; pontos ideais

Texto completo:

Early View Slides Early View_en

Referências


ARMSTRONG, David A et al. (2014), Analyzing spatial models of choice and judgment with R. CRC Press.

DESPOSATO, Scott W. & INGRAM, Matthew C. & LANNES JR., Osmar P. (2015), “Power, Composition, and Decision Making: The Behavioral Consequences of Institutional Reform on Brazil’s Supremo Tribunal Federal”. Journal of Law, Economics, and Organization, vol. 31,no. 3: 534–567.

DOWNS, Anthony. (1957), An economic theory of democracy. New York, Harper; Row.

FERREIRA, Pedro Fernando Almeida Nery & MUELLER, Bernardo. (2014), “How judges think in the Brazilian Supreme Court: Estimating ideal points and identifying dimensions”. Economia, vol. 15,no. 3: 275–293.

IZUMI, Mauricio. (2016), “Governo e Oposição no Senado Brasileiro (1989-2010)”. Dados, vol. 59,no. 1: 91–138.

LEONI, Eduardo. (2002), “Ideologia, Democracia e Comportamento Parlamentar: A Camara dos Deputados (1991-1998)”. Dados, vol. 45,no. 3: 361–386.

LIMONGI, Fernando. (2019), “Presidencialismo do Desleixo”. Piauí, no. 158: Disponível em: .

MARIANO SILVA, Jeferson. (2018), “Mapeando o Supremo. As posições dos ministros do STF na jurisdição constitucional (2012-2017)”. Novos Estudos - CEBRAP, vol. 37,no. 1: 35–54.

MCDONNELL, Robert Myles & DUARTE, Guilherme Jardim & FREIRE, Danilo. (2019), “congressbr: An R Package for Analyzing Data from Brazil’s Chamber of Deputies and Federal Senate”. Latin American Research Review, vol. 54,no. 4:

POOLE, Keith T. (2005), Spatial models of parliamentary voting. [S.l.] Cambridge University Press.

WICKHAM, Hadley. (2014), “Tidy data”. Journal of Statistical Software, vol. 59,no. 10: 1–23.

WICKHAM, Hadley et al. (2019), “Welcome to the Tidyverse”. Journal of Open Source Software, vol. 4,no. 43: 1686.

ZUCCO, Cesar. (2009), “Ideology or What? Legislative Behavior in Multiparty Presidential Settings”. The Journal of Politics, vol. 71,no. 3: 1076–1092.

ZUCCO, Cesar & LAUDERDALE, Benjamin E. (2011), “Distinguishing Between Influences on Brazilian Legislative Behavior”. Legislative Studies Quarterly, vol. 3,no. 36: 363–396.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Rodrigo Martins

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4