Estratégias de Desenvolvimento Nacional ou Estratégias Compartilhadas de Desenvolvimento? As relações Brasil-Argentina nos governos Lula e Néstor e Cristina Kirchner (2003-2010)

Roberta Rodrigues Marques da Silva

Resumo


Encontra-se em curso na América do Sul um movimento de ascensão de governos autodenominados de centro-esquerda. Os governos Lula, no Brasil e Néstor e Cristina Kirchner, na Argentina, fizeram parte do movimento. Inicialmente, havia expectativas de convergência das agendas externas na defesa da integração regional orientada para o desenvolvimento econômico e social, particularmente no âmbito do Mercosul. Estas expectativas, porém, não se concretizaram. Este artigo tem como objetivo compreender as razões que levaram os impasses no processo de integração entre Brasil e Argentina. Os governos de ambos os países reconheceram a importância da sua parceria estratégica para o impulso à integração regional e à competitividade de seus setores produtivos no mercado internacional. No entanto, suas relações foram fortemente influenciadas pelas suas respectivas estratégias domésticas de desenvolvimento. Não houve compartilhamento das suas estratégias de desenvolvimento, mas a defesa de setores produtivos domésticos, o que acabou por frear o processo de integração.


Palavras-chave


Desenvolvimento; integração; Lula; Néstor Kirchner; Cristina Kirchner

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Política Hoje - ISSN: 0104-7094

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4