Autonomia Pela Contradição: as políticas externa e nuclear de Vargas e JK

Diego Santos Vieira de Jesus

Resumo


O objetivo é explicar as contradições da política nuclear do Brasil e as posições do país na segunda administração Vargas e no governo JK quanto à cooperação nuclear com os EUA. Sustento que tais posições resultaram do jogo de barganha entre alas autonomistas do governo – ligadas aos setores de pesquisa e desenvolvimento tecnológico – e membros do Itamaraty. Conciliando tais pressões, Vargas e JK investiram em instituições para maior centralização no desenvolvimento de uma política nacional autônoma de energia nuclear, mas preservaram canais de cooperação com os EUA nessa área para garantir aportes de capital e apoio político.

Palavras-chave


Política nuclear; Getúlio Vargas; Juscelino Kubitschek

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Política Hoje - ISSN: 0104-7094

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4