Barômetro da Violência e da Segurança na Cidade do Recife

José Maria Nóbrega

Resumo


Recife é a capital mais violenta do Brasil e vem se apresentando entre aquelas com as cinco maiores taxas de homicídios das capitais brasileiras nos últimos 14 anos (WAISELFISZ, 2007 e 2008; NÓBREGA JÚNIOR, 2008). A segurança pública é uma variável importante para a redução dos homicídios e da criminalidade violenta de uma forma geral, ou seja, políticas públicas de segurança atenuam consideravelmente os indicadores de violência (SAPORI, 2008; KHAN, 2008). A segurança pública aparece como um bem escasso para a maioria dos cidadãos recifenses. Cerca de 74% deles avaliam a situação da segurança na cidade como ruim ou péssima e 78% opina que a violência vem aumentando, conforme pesquisa realizada pelo IPESPE (Instituto de Pesquisa Econômica e Social de Pernambuco). Baseado nesta pesquisa, a proposta central foi avaliar o nível de percepção do eleitor recifense sobre a violência e o papel da segurança pública num contexto democrático. Os resultados apontam para uma realidade contraditória, onde boa parte da população acredita ser importante a segurança pública como preocupação do prefeito, mas “admitem” práticas antidemocráticas, como são as dos grupos de extermínio.

Palavras-chave


segurança; homicídio; políticas públicas; percepção

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Revista Política Hoje - ISSN: 0104-7094

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

I S S N   0 1 0 4  –  7 0 9 4