CUIDADOS PALIATIVOS ONCOLÓGICO E ASSISTÊNCIA SOCIAL

Andrea Georgia de Souza Frossard, Jeane Alves da Silva, Aline Batista Aguiar, Rafaela Rodrigues de Paiva

Resumo


Trata-se de um estudo que conduz tanto os especialistas quanto a todos aqueles interessados no campo dos Cuidados Paliativos e, em especial, na área oncológica a uma imersão sobre o cuidar tanto na ótica da técnica quanto na humanização considerando as diferenças regionais. Consequentemente, se impõe o papel estratégico da assistência social no campo em questão. O objetivo do estudo visa à identificação dos avanços e perspectivas do campo dos Cuidados Paliativos em território nacional considerando a interação e articulação entre diversos atores. Os objetivos do estudo são compreender a relação entre desigualdade social e Cuidados Paliativos em Oncologia com ênfase nos cuidados em fim da vida e identificar os avanços e perspectivas do campo de Cuidados Paliativos em território nacional. A pesquisa baseia-se em pesquisa bibliográfica e documental, utilizando o método de revisão integrativa. Foi realizada busca ativa nas seguintes bases de dados: Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (Lilacs) e Sistema de Análise e Recuperação da Literatura Médica (Medline). Os seguintes descritores e suas associações em português, espanhol e inglês foram utilizados para pesquisar os artigos: Cuidado, Cuidados Paliativos, Vulnerabilidade e Assistência Social. Os critérios de inclusão definidos para a seleção dos artigos foram: artigos publicados em português, espanhol e inglês; e textos completos que expressaram o estudo sobre a revisão integrativa. A análise e síntese dos dados foram descritas e classificadas com o objetivo de reunir conhecimentos disponíveis na literatura especializada. Conclui-se que uma morte digna se distancia de um quadro de mistanásia. Trata-se, portanto, de uma concepção de cuidado que proporciona acesso ao tratamento adequado mesmo para aqueles que nunca tiveram uma vida digna, evitando o abandono. Assim, enfatiza-se a importância da associação da assistência social com as políticas de saúde.


Palavras-chave


Cuidado. Cuidados Paliativos. Assistência Social. Vulnerabilidade

Texto completo:

PDF

Referências


ACADEMIA NACIONAL DE CUIDADOS PALIATIVOS. [ANCP]. Panorama dos Cuidados Paliativos no Brasil. 2018. Disponível em < https://paliativo.org.br/wp-content/uploads/2018/10/Panorama-dos-Cuidados-Paliativos-no-Brasil-2018.pdf>. Acesso em: 20 jan.2019.

ALVES, JED. Aumenta a pobreza e a extrema pobreza no Brasil. In: CEPAL. ONU. Panorama Social de América Latina, Eco debate. Santiago: [], 2018. Disponível em: < https://www.ecodebate.com.br/2018/08/13/aumenta-a-pobreza-e-a-extrema-pobreza-no-brasil-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/>. Acesso em 20 dez.2018.ABRAMO, L. Proteção social é direito e pilar fundamental para a construção do estado de bem-estar. Rio de Janeiro: CEPAL, 2018. Disponível em: . Acesso em: 15dez.2018.

BRASIL. Portaria de Consolidação nº 2, de 28 de setembro de 2017. 2017. Consolidação das normas sobre as políticas nacionais de saúde do SUS. Anexo IX. Política Nacional para Prevenção e Controle do Câncer (PNPCC). Diário Oficial da União.

______. Lei nº 12.435, de 6 de julho de 2011. Altera a Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993, que dispõe sobre a organização da Assistência Social. Brasília, DF, 2011. ______. Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS). Secretaria Nacional de Assistência Social (SNAS). Sistema Único de Assistência Social (SUAS). Norma Operacional Básica (NOB-SUAS). Brasília, DF: MDS/SNAS/SUAS, dez. 2012.

______. Ministério da Saúde. Saúde Brasil estados 2018. Uma análise de situação de saúde segundo o perfil de mortalidade dos estados brasileiros e do Distrito Federal. Disponível em: < http://svs.aids.gov.br/dantps/centrais-de-conteudos/publicacoes/saude-brasil/saude-brasil-2018-analise-situacao-saude-segundo-perfil-mortalidade-estados-brasileiros-distrito-federal.pdf>. Acesso em: 10 fev.2019.

________. Ministério do Desenvolvimento Social. Secretaria Nacional de Assistência Social. Orientações técnicas sobre Benefícios Eventuais no SUAS 2018.Disponível em: < http://www.mds.gov.br/webarquivos/publicacao/assistencia_social/Cadernos/Orienta%C3%A7%C3%B5es%20T%C3%A9cnias%20sobre%20Benef%C3%ADcios%20Eventuais%20no%20SUAS.pdf > . Acesso em: 1mar. 2019.

BARROSO, LR. A dignidade da pessoa humana no direito constitucional contemporâneo: a construção de um conceito jurídico à luz da jurisprudência mundial. Belo Horizonte: Fórum editora, 2011.

BOLOVENTA, Gisele. A atenção aos pobres: apontamentos históricos sobre assistência e proteção social no Brasil. In. História& Cultura, v.6, n. 2, p. 9-34, 2018.

CASTELLANOS, MEP; BAPTISTA, TWF. Desigualdades, vulnerabilidades e reconhecimento: em busca de algumas invisibilidades produzidas nas políticas de saúde. In: Saúde soc. vol.27, n.1. São Paulo: [], 2018. http://dx.doi.org/10.1590/s0104-12902018000001.

CARVALHO, CSU. A necessária atenção à família do paciente oncológico. Rev. Bras. Cancerol, vol.54. Rio de Janeiro: INCA, p.87-96, 2008.

COLLIÉRE, MF. Cuidar: a primeira arte da vida. 2ª ed. Loures: Lusociência; 2003.

CÔA, TF; PETTENGILL, MAM. A experiência de vulnerabilidade da família da criança hospitalizada em Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos. Rev Esc Enferm USP, vol.45, p.825-32, 2011.

DATAFOLHA. Brasileiros não temem a morte, mas a dependência. Instituto de Pesquisa Datafolha. Equilíbrio e Saúde. São Paulo, 29 de janeiro de 2018. Disponível em: . Acesso em: 6 fev/ 2019.

EUROPEAN SOCIETY OF MEDICAL ONCOLOGY [ESMO]. London Cancer Alliance. In: D. HUI; CHERNY, N; LATINO, N; STRASSER, F. The ‘critical mass’ survey of palliative care programme at ESMO designated centres of integrated oncology and palliative care. Annals of Oncology: mdx280, p. 2057–2066, 2017. https://doi.org/10.1093/annonc/mdx280.

FROSSARD, A. Os cuidados paliativos como política pública: notas introdutórias. In: Cadernos EBRAPE, nº 14, Edição Especial. Rio de Janeiro: FGV; 2016.

____________. A Formação Profissional numa perspectiva interdisciplinar: Os Cuidados Paliativos em Foco. In: Revista Magistro, vol.2, n. 2, [ ], 2015.

HERRING, J. Vulnerable adults and the law. Oxford: Oxford University; 2016.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. [IBGE] Síntese de Indicadores Sociais: indicadores apontam aumento da pobreza entre 2016 e 2017. Disponível em: < https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/23298-sintese-de-indicadores-sociais-indicadores-apontam-aumento-da-pobreza-entre-2016-e-2017>. Acesso em: 14 fev. 2019.

LARKIN; GAMONDI; PAYNE. Competências Centrais em Cuidados Paliativos: Um Guia Orientador da EAPC sobre Educação em cuidados paliativos – parte 1. In: The European Journal of Palliative Care. vol.20, nº 2, p. 86 – 145, 2013.

LAVOR, FPF. Mistanásia: Uma breve análise sobre a dignidade humana no Sistema Único de Saúde no Brasil. Disponível em: https://jus.com.br/artigos/68102/mistanasia-uma-breve-analise-sobre-a-dignidade-humana-no-sistema-unico-de-saude-no-brasil>. Acesso em: 10 jan.2019

MEYER, DEE; MELLO, DFM; VALADÃO, MM; AYRES, JRCM. Você aprende: a gente ensina? Interrogando relações entre educação e saúde desde a perspectiva da vulnerabilidade. Cad Saúde Pública, vol.22, p. 1335-42, 2006.

NÉLSIS, CM; FLORIANO, BR; DE SOUZA, F; DE SOUZA, PC; NUNES, R, MEDEIROS, V; FERNANDES, VMP; LINO, TS. Levantamento Estadual dos Benefícios Eventuais. 2017. Disponível em: < http://dev.sst.sc.gov.br/arquivos/id_submenu/362/levantamento_estadual_dos_beneficios_eventuais_final.pdf>. Acesso em: 12mar. 2019

PRATI, LE; COUTO, MCP; KOLLER, SH. Famílias em vulnerabilidade social: rastreamento de termos utilizados por terapeutas de família. Psicologia: Teoria Pesquisa, vol. 25, n.3. Brasília: [ ], p.403-408, 2009.

PEREIRA, P. A. Panorama do processo de regulamentação e operacionalização dos benefícios eventuais regidos pelas LOAS. Cadernos de Estudos Desenvolvimento Social em Debate. Brasília, n. 12, 2010.

WORLD HEALTH ORGANIZATION.[WHO].Draft thirteenth General programme of work, 2019–2023. Promote health, keep the world safe, serve the vulnerable.Disponível em: < http://apps.who.int/gb/ebwha/pdf_files/WHA71/A71_4-en.pdf?ua=1>. Acesso em: 14 fev. 2019.

__________________________. Resolution WHA67.19, 2014. Strenghthening of palliative care as a componente of comprehensive care throughout the life course. Disponível em: < https://apps.who.int/iris/handle/10665/162863>. Acesso em: 15 jan. 2019.

RODRIGUES, GMA; TERESI, VM. O conceito de vulnerabilidade: uma perspectiva interdisciplinar para os Direitos Humanos. In: Valente, IMF; Sala, JB. Cidadania, Migrações, Direitos Humanos - trajetórias de um debate em aberto. Paraíba: Editora da Universidade Federal de Campina Grande – EDUFCG; 2018.

SAUNDERS.C. The Management of Terminal Illness. Hospital Medicine Publications Ltd. Londres, 1967.

SILVANO, IC. A Regulamentação dos Benefícios Eventuais em Santa Catarina: necessária afirmação do direito. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Santa Catarina, 2016. Disponível em:< https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/169841/TCC%20Isabella%20C%20Silvano.pdf?sequence=1&isAllowed=y> . Acesso em 4 jan.2019.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Indexadores: