A Geografia Física: Das Mutações do Mundo à Nova Teia do Cosmos.

Antonio Carlos Vitte

Resumo


O presente trabalho examina o processo de reestruturação da geografia física. Organizada a partir da ciência humboldtiana e produto de uma complexa relação entre a naturphilosophie e a ciência newtoniana, a geografia física surgiu para qualificar a natureza e a superfície da Terra, constituindo-se em uma verdadeira metafísica da natureza. O positivismo e posteriormente o impacto da big science no século XX, marcada pela fragmentação epistemológica e com domínio exacerbado da tecnologia, o resultado é a ausência de um corpus teórico, dominando a atomização disciplinar e simbólica das disciplinas da geografia física. Atualmente, há uma profunda contradição entre o conteúdo e a forma das disciplinas da geografia física, que a cada dia mais são incorporadas por outros campos científicos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v2.3.p37-63



      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License