Análise do Impacto do Crescimento Urbano em uma Micro Bacia Hidrográfica no Município de Itajubá/MG

Camila Coelho Welerson, Benedito Cláudio da Silva

Resumo


Um dos grandes problemas enfrentados pelos gestores municipais são as inundações urbanas, resultantes de fenômenos hidrológicos extremos somados à falta de planejamento (ou má execução) do sistema de drenagem. Dentre os diversos fatores relacionados à ocorrência de inundações, um dos mais preocupantes é o uso e ocupação do solo das bacias hidrográficas sem um planejamento prévio, que advém do crescimento da população urbana. De modo a mitigar este problema, dentre as medidas estruturais usuais de controle do escoamento superficial destaca-se o reservatório de detenção pela sua efetividade no amortecimento de ondas de cheia. Dessa forma, buscou-se avaliar o impacto do crescimento urbano em uma microbacia urbana do município de Itajubá, Minas Gerais, na geração de vazões de cheia. Para tanto, foram simuladas as respostas da bacia para três cenários de uso e ocupação do solo utilizando-se o software HEC-HMS e, por fim, foi dimensionado um reservatório a jusante da bacia de forma a atenuar as vazões de cheia. Os resultados das simulações apontaram para uma influência significativa do crescimento urbano nos hidrogramas de cheia, uma vez que quanto maior a impermeabilização do solo, maiores os valores do escoamento superficial. Além disso, o reservatório para a condição mais crítica de ocupação do solo apresentou os maiores valores de dimensionamento, o que significa maiores gastos financeiros para sua execução. Isso, portanto, justifica a necessidade de um planejamento prévio de ocupação por parte da gestão municipal a fim de se evitar futuros gastos extras com medidas mitigadoras de inundação.


Referências


ABCP. Associação Brasileira de Cimento Portland, 2013. Projeto técnico: Reservatórios de detenção. São Paulo.

Barbosa, A.A., Oliveira, G.M., Oliveira, T.J., 2015. Histórico de enchentes em Itajubá/MG. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade 9, 125-140.

Bemfica, D.C., Goldenfum, J.A., Silveira, A.L.L., 2000. Análise da aplicabilidade de padrões de chuva de projeto a Porto Alegre. Revista Brasileiro de Recursos Hídricos 5, 5-16.

Carvalho, D.F., Silva, L.D.B., 2006. Hidrologia: Capítulo 3. Notas de aula. Rio de Janeiro, UFRRJ.

Coura, C.L., Santos, P.D., 2016. Propostas de soluções para os problemas de enchente na rua Delfim Moreira, localizada no bairro Medicina em Itajubá-MG. XX Encontro Latino Americano de Iniciação Científica, XVI Encontro Latino Americano de Pós-Graduação e VI Encontro de Iniciação à Docência São José dos Campos (SP).

DNIT. Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes, 2005. Manual de hidrologia básica para estruturas de drenagem. Rio de Janeiro.

DPS-UFV. Departamento de Solos da Universidade Federal de Viçosa, 2010. Mapas de Solos do Estado de Minas Gerais. Viçosa.

Du, S., Shi, P., Rompaey, A.V., Wen, J., 2015. Quantifying the impact of impervious surface location on flood peak discharge in urban areas. Natural Hazards 76, 1457-1471.

Fernandes, R.O., Costa, C.T.F., Studart, T.M.C., 2017. Análise de sensibilidade em hidrogramas de cheias máximas obtidos pelo método do SCS em uma bacia urbana. Águas Subterrâneas 31, 243-254.

Gao, Y., Yuan, Y., Wang, H., Schmidt, A.R., Wang, K., YE, L., 2017. Examining the effects of urban agglomeration polders on flood events in Qinhuai River basin, China with HEC-HMS model. Water Science & Technology 75, 2130-2138.

Goerl, R.F., Kobiyama, M., 2005. Considerações sobre as inundações no Brasil. XVI Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos João Pessoa (PB).

Gribbin, J.E., 2014. Introdução a Hidráulica, Hidrologia e Gestão de Águas Pluviais. Cengage Learning, São Paulo.

Guha-Sapir, D., Hoyois, P., Wallemacq, P., Below, R., 2017. Annual disaster statistical review 2016: The numbers and trends. Centre for Research on the Epidemiology of Disasters, Brussels.

Kang, K., Lee, J., Chun, J.A., Timlin, D., 2018. Impact of altered land use on the hydrology of urban territories. Russian Meteorology and Hydrology 43, 197-202.

Koneti, S., Sunkara, S.L., Roy, P.S., 2018. Hydrological modeling with respect to impact of land-use and land-cover change on the runoff dynamics in Godavari River Basin using the HEC-HMS model. ISPRS International Journal of Geo-Information 7, 1-17.

Laouacheria, F., Mansouri, R., 2015. Comparison of WBNM and HEC-HMS for runoff hydrograph prediction in a small urban catchment. Water Resources Management 29, 2485-2501.

Lund, J., Medellin-Azuara, J., Durand, J., Stone, K., 2018. Lessons from California’s 2012–2016 Drought. Journal of Water Resources Planning and Management 144, 1-13.

Maria Filho, P.J., Targa, M.S., Santos, P.S., Mostarda Neto, N., 2016. Barragens de detenção em bacia hidrográfica com o uso de curvas cota-volume e hidrogramas triangulares sintéticos. Revista Ambiente & Água 11, 1119-1135.

Peroni, C.S.L., 2018. Avaliação de bacias de detenção na gestão de águas pluviais em Araraquara, SP. Dissertação (Mestrado) São Carlos, UFSCAR.

Porto, R.M., 2006. Hidráulica básica. EESC-USP, São Carlos.

Reboita, M.S., Marietto, D.M.G., Souza, A., Barbosa, M., 2017. Caracterização atmosférica quando da ocorrência de eventos extremos de chuva na região sul de Minas Gerais. Revista Brasileira de Climatologia 21, 20-37.

Righetto, A.M., Freitas, B., 2016. Hydrological modeling of a detention reservoir: flood control and aquifer recharge. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 21, 752-765.

Sardinha, D.S., Godoy, L.H., 2016. O crescimento urbano e o impacto nos recursos hídricos superficiais de Uberaba (MG). Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades 4, 1-20.

Sartori, A., Lombardi Neto, F., Genovez, A.M., 2005. Classificação hidrológica de solos brasileiros para a estimativa da chuva excedente com o método do Serviço de Conservação do Solo dos Estados Unidos Parte 1: Classificação. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 10, 5-18.

Silveira, A.L.L., 2005. Desempenho de fórmulas de tempo de concentração em bacias urbanas e rurais. Revista Brasileira de Recursos Hídricos 10, 5-23.

Tucci, C.E.M., 2003. Drenagem Urbana. UFRGS/ABRH, Porto Alegre.

Tucci, C.E.M., 2012. Hidrologia: Ciência e aplicação. UFRGS/ABRH, Porto Alegre.

USACE. United States Army Corps of Engineers, 2016. Hydrologic Modeling System HEC-HMS: User’s Manual. Version 4.2. Hydrologic Engineering Center– HEC, Davis, California, EUA.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

 

Revista Brasileira de Geografia Física - eISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License