Índice de satisfação de drenagem urbana na zona urbana de Pau dos Ferros/RN

Talita Tássia da Costa, Joel Medeiros Bezerra, Bruna Monallize Duarte Moura, Alana Ticiane Alves do Rêgo, Rafael Silva de Souza, Francisco Soares Roque, Antonio Batista de Queiroz Júnior, Helves Clerverton Guerra Costa, Samilly Brito Nobre, Ricassilly Isac Bruno Rufino Lima

Resumo


A drenagem urbana se constitui uma das quatro vertentes do saneamento básico, sendo importante no destino adequado das águas pluviais de maneira que não venha a causar impactos socioambientais. Diante desta realidade, ferramentas para a análise da percepção de usuários dos serviços do saneamento básico tornaram-se imprescindíveis para garantia de uma melhor eficiência do sistema, como também promoção da qualidade de vida da população. Nessa perspectiva, pretende-se analisar o índice de satisfação da drenagem urbana prestados à população da zona urbana de Pau dos Ferros/RN, e com isso proporcionar a quantificação da eficiência deste serviço, como também sugerir ações direcionadas nas áreas mais afetadas. Dessa forma, a metodologia empregada consistiu na avaliação da satisfação do sistema de drenagem urbana a partir de percepção dos residentes de 17 bairros da zona urbana do município em apreço, tal como mapeamento da ocorrência dos índices obtidos, relacionando a feições topográficas, sendo que o índice de satisfação foi calculado de acordo com o grau de satisfação, insatisfação e o número de respostas dos questionários aplicados, em que o intervalo de variação desse índice varia entre -1 a 1, com maior satisfação do usuário próximo a 1. Assim, verificou-se que o índice proporcionou uma satisfação de nível baixo em 35,3 % dos bairros analisados, 52,9 % como nível médio e 11,8 % como nível alto. Pode-se considerar que o índice de satisfação desse serviço no município, apresentou-se majoritariamente deficitário, não se limitando apenas a aspectos de infraestrutura, mas também a inexistência de manutenção deste sistema.

 

 

Satisfaction index of the urban drainage system of the urban area of Pau dos Ferros/RN

 

A B S T R A C T

Due to a scenario marked by economic, political and social transformations, several adverse impacts were promoted on public health and the environment. Facing this reality, tools for analyzing the perception of users of basic sanitation services have become essential to guarantee a better efficiency of the system, as well as to promote the population's quality of life. In this perspective, this work intended to analyze the satisfaction index of urban drainage provided to the population of the urban area of Pau dos Ferros/RN, and thereby provide the quantification of the efficiency of this service, as well as suggesting actions targeting at the most affected areas. Therefore, the methodology employed was focused in assessing the satisfaction of the urban drainage system from the perception of residents of 17 neighborhoods in the urban area of the city under consideration, such as mapping the occurrence of the indexes obtained, relating to topographic features. It was found that the satisfaction index was classified as “low level” in 35.3% of the neighborhoods analyzed, 52.9% as a “medium level” and 11.8% as a “high level”. It can be considered that the satisfaction index of this service in the municipality, presented mostly deficit, not limited only to aspects of infrastructure, but also the lack of maintenance of the system.

Keywords: environmental perception, rainwater management, urban environmental quality, basic sanitation.


Texto completo:

PDF

Referências


Abreu, N.J. Percepção dos riscos de inundações no Bairro Preguiça – Maranguape (CE). 2015. 140 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) - Universidade Federal do Ceará, Fortaleza-CE, 2015.

ASF. Alaska Satellite Facility, 2011. Alaska Fairbanks.

Almeida, R., Scatena, L.M., Luz, M., 2017. Percepção ambiental e políticas públicas-dicotomia e desafios no desenvolvimento da cultura de sustentabilidade. Ambiente & Sociedade 20, 43-64. https://doi.org/10.1590/1809-4422asoc20150004r1v2012017.

Alvares C.A., Stape J.L., Sentelhas P.C., Gonçalves J.L.M., Sparovek G., 2013. Köppen's climate classification map for Brazil. Meteorologische Zeitschrift 22, 711-728. https://doi.org/10.1127/0941-2948/2013/0507.

Aragão, R., Cruz, M.A.S., Correia, E.C.O., Machado, L.F.M., Figueiredo, E.E., 2017. Impacto do uso do solo pelo aumento de densidade populacional sobre o escoamento numa área urbana no Nordeste Brasileiro via tecnologias e modelagem hidrológica. Revista Brasileira de Geografia Física, 10, 543-557. https://doi.org/10.5935/1984-2295.20170035.

Barbosa, W., Abreu, V.H.S., Ribeiro, M.I.P., 2019. Um estudo Bibliométrico e Sistemático sobre o Planejamento de Sistemas de Drenagem Urbana. Boletim do Gerenciamento 9, 1-10.

Bezerra, A.M., Neto, M.L.Q., Florêncio, C.F.D., Oliveira, A.S., Souza Junior, P.L., 2016. Drenagem urbana de águas pluviais: cenário atual do sistema da cidade de Assú/RN. In: VII Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, Campina Grande, PB (p. 1-7): IBEAS. Disponível em www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2016/IX-040.pdf. Acesso em:11 mai. de 2020.

Camara, L.R.A., da Silva, D.D.S., Sales, L.L.N., Silva, D.W.S., Pinheiro, E.M., 2019. Qualidade de vida e percepção ambiental dos moradores de comunidades rurais em São Luís (MA). Revista Brasileira de Educação Ambiental 14, 263-274. https://doi.org/10.34024/revbea.2019.v14.2557

Costa, P.R., Silveira, A.L.R., 2017. Drenagem urbana e os impactos decorrentes do processo de urbanização na bacia do córrego Mingau, Goiânia, GO. Revista Eletrônica de Educação da Faculdade Araguaia 11, 76-100.

Costa, R.N.P., Pinheiro, E.M., 2018. O cenário do saneamento básico no Brasil. Educação Ambiental em Ação, 66.

COSTA, F.R., 2010. Inundações urbanas no semiarido nordestino: o caso da cidade de Pau dos Ferros - RN. 87 f. Dissertação (Mestrado em Meio Ambiente, Cultura e Desenvolvimento) - Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal.

Costa, J.N., Silva, A., Araújo, S.M.S., 2018. Riscos e vulnerabilidades a desastres naturais no estado da Paraíba: relação entre fatores geoambientais, registros e ações. Revista Flammae 4, 143-162. http://dx.doi.org/10.21628/2359-4837/flammae.v4n9p143-172.

Christofidis, D., Assumpção, R.D.S.F.V., Kligerman, D.C., 2020. A evolução histórica da drenagem urbana: da drenagem tradicional à sintonia com a natureza. Saúde em Debate 43, 94-108.

Cunha, M., Canan, B., 2015. Percepção ambiental de moradores do bairro nova Parnamirim em Parnamirim/RN sobre saneamento básico. Holos 31, 133-143. https://doi.org/10.15628/holos.2015.2253.

Dantas, J.R.Q, Clementino, M.D.L.M., de França, R.S., 2015. A cidade média interiorizada: Pau dos Ferros no desenvolvimento regional. Revista Tecnologia e Sociedade 11, 129-148.

Moura, M.R.F., Martins, N.N.J.L.N., De Almeida, Y.Y.G., 2020. A macrodrenagem urbana sob a ótica do tripé da sustentabilidade: uma análise dos canais do Recife-PE. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista 16, 216-227.

Dias, F.L.C.B., de Medeiros Alves, A., 2015. A importância biogeográfica das áreas alagadiças na região semiárida: O caso do geossistema da depressão sertaneja dos municípios de Rafael Fernandes e Pau dos Ferros-RN. Revista do CERES 1, 129-137.

EMPARN. Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte, 2013. Dados - Precipitação Médias Municipais.

Felder, J.T., Filho, P.C.O., Sieklicki, J., Teleginski, E., Heraki, L., Leite, R.S., 2020. Identificação das áreas de risco à enchente do Município de Rio Azul-PR com base no estudo da sub-bacia urbana do Rio Faxinal. J. of Develop 6,4303–4308.https://doi.org/10.34117/bjdv6n6-455.

Fernandes, E.F.L., Anunciação, V.S., 2018. Impactos hidrometeóricos no alfa Pantanal Sul- mato-grossense/Brasil. Territorium 25, 23-38. https://doi.org/10.14195/1647-772325-12.

Filho, F.C.M.M., Rodrigues, A.L.M., 2017. Avaliação do saneamento ambiental por meio da proposição e aplicação de índices de percepção e satisfação populacional. Holos 17, 122-137. https://doi.org/10.14295/holos.v17i1.12177.

Fragoso, M.L.C., Silva, T.A.A, 2019. Desastre, risco e vulnerabilidade urbana: uma análise a partir das enchentes e inundações no município de escada/PE. Revista Cadernos de Ciências Sociais 1, 36–53.

Freitas, C.D., 2016. Benefícios Socioeconômicos da Expansão do Setor de Saneamento: uma Análise do Quadro do Setor no Brasil e com Estudo de Caso da Região Metropolitana do Rio de Janeiro (Trabalho de Conclusão de Curso). Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro.

Frutuoso, G.K.C., Grigio, A.M., Barros, T.C.A.N, 2020. Inundações urbanas: um olhar para o planejamento urbano na revisão do plano diretor de Assú – RN, Brasil. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades 8.

http://dx.doi.org/10.17271/2318847286120202431.

Gomes, J., 2008. Chuvas causam estragos no Alto Oeste. Disponível em: http://blogdojgomes-arquivovip.blogspot.com/2008/04/vrias-cidades-esto-vivendo-momentos.html. Acesso em: 07 maio 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2010. Censo Demográfico - 2010. Rio de Janeiro.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 2020. Geomorfologia. Banco de Dados de Informações Ambientais (BDIA).

IDEMA. Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente do Rio Grande do Norte, 2008. Perfil do município: Apodi.

Lima, A.S.C., Scalize, P.S., Arruda, P.N., Baumann, L.R.F., 2017. Satisfação e percepção dos usuários dos sistemas de saneamento de municípios goianos operados pelas prefeituras. Engenharia Sanitaria e Ambiental 22, 415-428.

https://doi.org/10.1590/s1413-41522017142945.

Luiz, G.C., Romão, P.A., 2019. Interação Solo-Atmosfera e Processos de Inundação e Alagamento na Cidade de Goiânia-GO. Revista Brasileira de Geografia Física 12, 1891-1903. https://doi.org/10.26848/rbgf.v12.5.p1891-1903.

Maia, A.A.S., 2016. Cenário do saneamento básico no município de Pau dos Ferros-RN (Relatório de estágio supervisionado). Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, Pau dos Ferros.

Martins, F.B., Lersch, E.M., Guimarães, Ê., 2016. Novas diretrizes para saneamento básico: desafios da gestão pública para sua implementação. Revista do Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais 34, 42-52. http://dx.doi.org/10.18763/revistaTCEMG.2016.vol.34.n.1.p.42-52.

Martins, G.A., 2006. Estatística geral e aplicada 1. São Paulo: Atlas.

Miguez, M., Rezende, O., & Veról, A., 2015. Drenagem urbana: do projeto tradicional à sustentabilidade. Elsevier Brasil.

Miranda, D.T., Decesaro, G.D.M, 2018. Os impactos e as consequências gerados pela urbanização acelerada às águas urbanas. Revista Técnico-Científica 23, 1-9.

Oliveira, A.P., Barbassa, A.P., Gonçalves, L.M., 2016. Aplicação de técnicas compensatórias de drenagem na requalificação de áreas verdes urbanas em Guarulhos-SP. Periódico Técnico e Científico Cidades Verdes 4, 87-101. http://dx.doi.org/10.17271/231786044920161385.

Oliveira, T.H., Silva, J.H., Santos, M.O., Oliveira, J.S.S., 2015. Evolução espaço- temporal da Drenagem superficial e do processo de impermeabilização em Santo Amaro, Recife – PE. Revista Brasileira de Geografia Física 8, 1571-1587. https://doi.org/10.26848/rbqf.v8.6.p1571-1587.

Pereira, F.D.D.S., 2015. Os desafios entre a drenagem urbana e os resíduos sólidos: o caso de Aracaju/SE (Dissertação de mestrado). Universidade Federal de Sergipe, Sergipe.

Pereira, T.S.T., Heller, L., 2015. Planos municipais de saneamento básico: avaliação de 18 casos brasileiros. Engenharia Sanitária e Ambiental 20, 395-404. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-41522015020000098824.

Pereira, M.D.R., Cristo, S.S.V., 2018. Análise da susceptibilidade a inundação na bacia hidrográfica do Córrego São João, Porto Nacional – TO. Revista Interface (Porto Nacional) 16, 82-96.

Peres Neto, A., 2017. Estudo Ambiental da Microbacia do Riacho do Mel em Gravatá (PE): Processo de ocupação da terra no contexto do bairro Riacho do Mel. Revista Momentos Sociais e Dinâmicas Espaciais 6, 157-172.

Periçato, A.J., Silva, V.D., Marcatto, F.S., 2016. Identificação e mapeamento das áreas de risco no município de Itajaí- SC a partir de inundações ocorridas em 2011. Revista Brasileira de Geografia Física 9, 1895- 1909. https://doi.org/10.26848/rbqf.v9.6.p1985-1909.

Pinto, M.E.L.M., Sousa Júnior, A.M., 2018. Drenagem urbana no município de pau dos ferros-RN: uma perspectiva sobre os impactos e a necessidade de sua implementação. Engevista 20, 69-78.

Ribeiro, F., Lima, F., 2019. Explorando métricas urbanas: desenvolvimento de uma ferramenta algorítmico-paramétrica para suporte em drenagem urbana na cidade de Juiz de Fora. GOT, Revista de Geografia e Ordenamento do Território 18, 126-152.

Sacho, S.D., Hora, K.E., 2017. Panorama do saneamento básico na Região Metropolitana de Goiânia. Desenvolvimento em Questão 15, 498-522. https://doi.org/10.21527/2237-6453.2017.41.498-522.

Silva, M.P., Picharillo, C., Silva, G.C., da Silva, F.L., Gonçalves, J.C., 2015. Análise da influência dos aspectos sociais na percepção ambiental da população residente na Microbacia do córrego do Mineirinho, Município de São Carlos-SP. Revista Eixo 4, 91-99.

https://doi.org/10.19123/eixo.v4i2.288.

Silva, L.E., Souza, F.X.S., Carmo, M.R., Cruz, H. E.J., Cunha, E.J.N.S., Cunha, M., Lopes, E.E. L., Quadros, J., 2020. Sistema de drenagem urbana e as inundações na unidade hidrográfica do Canal do Anhaia – Paranaguá - Brasil. Journal of Biotechnology and Biodiversity 8, 065-073. https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v8n2.silva.

Silva, L.E., Souza, F.X.D.S., Carmo, M.R., Junior, H.E.J., Cunha, E.J.N.S., Cunha, M., Quadros, J., 2020. Sistema de drenagem urbana e as inundações na unidade hidrográfica do Canal do Anhaia–Paranaguá-Brasil. Journal of Biotechnology and Biodiversity 8, 065-073.

SNIS. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento, 2018. Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgoto - 2016. Ministério das Cidades. Brasília, 220 p.

Tasca, F.A., Finotti, A., Pompêo, C.A., Goerl, R.F., 2017. O papel da drenagem urbana na prevenção de desastres hidrológicos na bacia




DOI: https://doi.org/10.26848/rbgf.v14.1.p229-245

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

      

Revista Brasileira de Geografia Física - ISSN: 1984-2295

Creative Commons License
Esta obra está licenciada com uma Licença Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License