Políticas culturais em Moçambique entre identidade nacional e instâncias locais (1975-2009)

Luca Bussotti, Reginaldo Albino Gundane

Resumo


Este artigo tem como objectivo analisar a implementação das políticas culturais em Moçambique de 1975 a 2009. Apesar de muitos esforços, os resultados conseguidos foram modestos. A implementação das políticas culturais em Moçambique pode ser subdividida em três gerações ou fases, nomeadamente a consolidação da identidade e preservação do património, a regulação econômica do setor cultural e a produção e difusão do setor cultural. A abordagem metodológica adotada foi de tipo qualitativo, centrada na análise documental e legislativa do material disponível, segundo uma perspectiva histórica. O que resultou da investigação foi que no período socialista a política cultural expressava uma visão enraizada numa ideologia clara (o socialismo), que porém não considerou adequadamente as instâncias culturais a nível local, ao passo que, com a “Segunda República”, o Estado se tornou cada vez menos interventivo e mais regulador, deixando largo espaço às forças do mercado, e por vezes utilizando algumas manifestações culturais e tradicionais como meio de controlo político das massas.


Texto completo:

PDF

Referências


ABDALA, Amina & MURRURE, Télio. (2016). Carta de Moçambique a Tutela dos Direitos de Autor no Âmbito das Actividades Publicitárias no Ordenamento Jurídico Moçambicano. Propriedades Intelectuais, n° 6, p. 69 – 70.

ALEMAZUNGH, J.A. (2010). Post-Colonial Colonialism: An Analysis of International Factors and Actors Marring African Socio-Economic and Political Development. The Journal of Pan African Studies, vol.3, n.10, p. 62-84. Disponível em: http://www.jpanafrican.org/docs/vol3no10/3.10Post-Colonial.pdf. Acesso: 10/05/2020

ANTÓNIO, Elsa Maria Da Silva. (2017). Contribuição Da ONU para os Direitos Humanos em Moçambique. Dissertação apresentada à Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, para a obtenção do grau de Mestre. Lisboa

AWINSONG, Moses Allor. (2017). The Colonial and Post-Colonial Transformation of African Chieftaincy: A Historiography. Disponíve em: https://www.eiu.edu/historia/Awinsong2017.pdf. Acesso: 10/05/2020

BARRETO, Isabel. (2010). Independência e Criação de Heróis Nacionais: Exemplos de Moçambique. Revista Contemporânea, n° 1, p. 203-221.

BASÍLIO, Guilherme. (2011). Samora Machel: O princípio do Homem Novo e seus significados. Revista da Universidade Pedagógica.

BORGES, Edson. (2001). A Política Cultural em Moçambique Após a Independência (1975-1982). Rio de Janeiro: Editora UFRJ.

BOTELHO, Isaura. (1997). A Diversificação das Fontes de Financiamento para a Cultura: Um Desafio para os Poderes Públicos. Rio de Janeiro: FUNARTE.

CAMBAZA, Virgílio. (2009). A Lei de Terras, Minas e Sistemas de Direitos Consuetudinários. Maputo: Instituto de Estudos Sociais e Económicos.

CAPPELEN, Christoffer & SORENS, Jason. (2018). Pre-colonial centralisation, traditional indirect rule, and state capacity in Africa. Commonwealth and Comparative Politics, Vol. 56, Issue 2, p. 195-215

CHIZIANE, Paulina & MARTINS, Mariana. (2016). Ngoma Yethu: O Curandeiro e o Novo Testamento. Maputo: Matiko

FELICIANO, José Fialho. (1998). Antropologia Económica dos Thonga do Sul de Moçambique. Maputo: Arquivo Histórico de Moçambique

GONÇALVES, Nuno Simão; LOPES, Nuno & ROSSA, Walter. (2018). Oficinas de Muhipi: Planeamento Estratégico, Património, Desenvolvimento. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra.

LANDGRAF, Flávia Landucci. (2014). Políticas culturais em Moçambique: do Estado Socialista ao Aberto à Economia de Mercado. Trabalho de Conclusão de curso apresentado ao Centro de Estudos Latino-Americanos sobre Cultura e Comunicação da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo para a obtenção do título de Especialista em Gestão de Projetos Culturais e Organização de Eventos. São Paulo.

LOPES, Pedro Pereira. (2016). Políticas Culturais em Moçambique: Quando há Pouca Luz no Fundo do Túnel Disponível em https://www.academia.edu/23190590/Pol%C3%ADticas_Culturais_em_Mo%C3%A7ambique_Quando_h%C3%A1_Pouca_Luz_no_Fundo_do_T%C3%BAnel_. Acesso em 5 de Maio de 2019.

INLIA, Marcelina Júlio (2016). Moçambique pôs independência (1975-1987). Monografia apresentada à Universidade Pedagógica para a obtenção do grau de Licenciatura. Quelimane: UP

JOÃO, Angélica & CHONGO, Edith. (2015). Moçambique, 40 Anos de Independência: Unidade Nacional, Paz e Progresso. Maputo: ARPAC.

MABONGO, António William. (2015). Diversidade Étnica e Exclusão Social no Processo da Consolidação da Unidade Nacional: O Caso dos Vendedores e Vendedoras Informais do Mercado de Estrela Vermelha. Dissertação apresentada à Universidade Aberta para a obtenção do grau de Mestre. São Paulo.

MALOA, Tomé Miranda. (2016). História da Economia Socialista Moçambicana. Dissertação apresentada à Universidade de São Paulo para a obtenção do grau de Mestre. São Paulo.

MARTINS, P.H. (2019). Teoria Crítica da Colonialidade. Rio de Janeiro: Ateliê de Humanidades

MATEUS, Dalila Cabrita & MATEUS, Álvaro. (2010). Nacionalistas Moçambique. Córdova: Textos Editores

MAZRUI, Ali A. & WONDJI, Christophe (Eds.), (2010). História Geral da África VIII. Brasília: UNESCO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA (2017). Colectânea da Legislação Cultural de Moçambique. Maputo: Direcção Nacional da Cultura.

MOÇAMBIQUE (2008). Comunicação de Sua Excelência Armando Emílio Guebuza, Presidente da República de Moçambique, por ocasião da Abertura do V Festival Nacional da Cultura. Xai-Xai, 11 de Julho de 2008. Maputo

MOÇAMBIQUE (2004). Constituição da República de Moçambique. Maputo: Imprensa Nacional

NASSABE, Jonas & MANDLATE, Teixeira (2011). Estatística da Cultura, 2011. Maputo: Instituto Nacional de Estatística

MOSCA, João (2005). Economia de Moçambique. Lisboa: Editora Piaget

OMAR, Lúcia Laurentina & JÚNIOR, Euler Sandeville. (2015). Património Cultural e Memória Social na Ilha de Moçambique. Revista CPC, n.18, p. 4-28.

PAREDES, Marçal de Menezez. (2014). A Construção da Identidade Nacional Moçambicana no Pós-Independência: Sua Complexidade e Alguns Problemas de Pesquisa. Anos 90, v. 21, n° 40, p. 131-161.

PEHRSSON, Kajsa. (2001). Avaliação do Apoio Sueco à Cultura em Moçambique. Stokholm: SIDA.

PIRES, Maria José Morais. (1999). Carta Africana dos Direitos Humanos e dos Povos. Documentação e Direito Comprado, 79/80, p. 335-350.

Resolução n° 12/97 (Aprova a Política Cultural e Estratégia de sua Implementação em Moçambique)

REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE. (2014). Estratégia Nacional de Desenvolvimento (2015-2035). Maputo

SENZENE, António Leuane. (2017). Legislação Sobre a Protecção do Património Cultural da Libertação Nacional em Moçambique. Monografia apresentada na Universidade Eduardo, para a obtenção do grau de Licenciatura. Maputo: UEM

SKINNER, Elliott P. (1998). African Political Cultures and the Problems of Government. African Studies Quarterly. Vol. 2, Issue 3, p. 17-25. Disponível em: http://asq.africa.ufl.edu/files/ASQ-Vol-2-Issue-3-Skinner.pdf

SOUSA, Luís Manuel Manana. (2010). Interações Culturais. Caderno de Investigação Aplicada, n° 4, p. 133-151

UNESCO (2003). Convenção de Paris para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial. Disponível em: http://www.portal.iphan.gov.br/uploads/ckfinder/arquivos/convencaoSalvaguarda.pdf


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.