Epistemologia freireana e pós-colonialidade: reflexões a partir da pesquisa participante na América Latina

Thiago Ingrassia Pereira

Resumo


o atual debate sobre estudos pós-coloniais aponta, entre outras questões, para um cenário de reconstrução epistemológica. Nesse sentido, a pesquisa em educação apresenta contribuições importantes a partir do campo da Educação Popular, paradigma latino-americano que surge em contraponto aos processos de dominação (econômica, política e cultural) advindos dos países centrais do capitalismo no século XX. Dessa forma, a obra de Paulo Freire é referência em suas concepções antropológicas, epistemológicas, políticas e éticas, ofertando premissas teóricas que oportunizam a (re)construção do conhecimento a partir da realidade concreta das classes populares. Neste artigo, discuto elementos da epistemologia freireana que sustentam práticas de pesquisa participante, problematizando o próprio conhecimento acadêmico em contexto permanente de disputa política, tendo em vista que a colonialidade interfere de forma intersubjetiva na compreensão de mundo dos sujeitos.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 REALIS | Revista de Estudos AntiUtilitaristas e PosColoniais - ISSN: 2179-7501



Creative Commons CC Atribuição Não comercial, sem derivação 4.0.