Chamada de Artigos para Dossiê 2021.2

Neoliberalismo, novas formas de subjetividade, reprodução de desigualdades ou, afinal, o que desejam as elites brasileiras e transnacionais?

Pesquisar um tema como o das elites não deixa de ser um desafio. Primeiro, porque o acesso a elas não é fácil. Depois, por serem as elites um campo de estudo relativamente escasso na antropologia internacional e um tema de investigação praticamente inexistente na antropologia brasileira, com algumas exceções. Quando Laura Nader, em 1968, chamou a atenção para a importância de se estudar as elites, do ponto de vista da antropologia, foi muitas vezes mal interpretada. Seu intento não era apenas sugerir que os antropólogos estudassem unicamente as classes altas e ricas de elites per si. Mas ao fazer isso, a antropologia pudesse também ampliar o olhar para “os de baixo”, para “os do lado” e até simultaneamente “para cima” “para baixo” e “para os lados”, como meio privilegiado de entender as desigualdades sociais, porém, a partir “do alto”. Deste modo, o ponto de inflexão proposto para este dossiê temático é uma discussão teórica e metodológica sobre o campo das elites na antropologia no Brasil, tendo como objetivo aprofundar algumas das questões aqui propostas e, sobretudo, dialogar com reflexões sobre determinados grupos de elite e o atual cenário político, social e cultural no Brasil.

Nestes e outros casos, a etnografia não serve apenas como um recurso metodológico eficaz e legítimo para se entender como se desenvolvem tais dinâmicas, mas provavelmente, venha a ser a melhor maneira de se aproximar dessas elites, para  estudá-las a partir “de cima”, e “de dentro” buscando nos diferentes grupos de elites interlocutores receptivos capazes de compartilhar e empreender uma autorreflexão sobre as particularidades internas desses grupos, como também suas estratégias de dominação e de reprodução das distorções e disparidades sociais e históricas que as mantêm no poder, apartadas dos interesses e dos demais grupos que compõem a sociedade brasileira.

Editores convidados: Antonio Motta (UFPE), Laura Graziela Gomes (UFF) e Jorge Freitas Branco (ISCTE/Lisboa)

Submissões abertas até dia 31 de agosto de 2021

Clique aqui para submeter seu artigo