Plantando Mandioca e Criando In/Comensurabilidades

Gabriel Graton Roman, Iara Maria de Almeida Souza

Resumo


O presente artigo examina a forma como a mandioca é plantada na comunidade quilombola Espírito Santo do Itá (PA) a fim de identificar momentos de conflito e negociações entre o saber tradicional, materializado na prática de cultivo local, e o saber técnico-científico, presente principalmente em cursos técnicos municipais oferecidos para os produtores da comunidade. As práticas de plantio de mandioca são examinadas seguindo uma abordagem semiótica material, extrapolando, assim, uma discussão puramente epistemológica, tornando o saber uma questão também ontológica. Nos momentos etnográficos explorados, foram identificadas três estratégias utilizadas na comunidade que contribuíram para a coexistência do saber local frente um saber técnico-científico divergente: 1. A realização de comparações no campo material e corporificado; 2. O controle dos critérios relevantes para a comparações; e 3. A criação de incomensurabilidades. Dessa forma, sugerimos que a negociação entre saberes divergentes na comunidade é marcada por articulações de padrões de in/comensurabilidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br