Duplos Funerais: quando a morte encontra o morto em contextos transnacionais

Mísia Reesink, Andrea Martins, Jéssica Greganich

Resumo


Na literatura antropológica são poucas as análises etnográficas sobre o fenômeno da morte em contextos transnacionais, apesar da antropologia ser uma das ciências sociais que mais tem refletido sobre a morte. Buscando diminuir esta lacuna, apresentamos aqui uma reflexão comparativa entre três diferentes situações de rituais de morte ocorridos em contextos transnacionais. A primeira situação acontece na Inglaterra entre imigrantes bengaleses, descrita pela antropóloga britânica Katy Gardner; a segunda ocorre no Suriname, sendo analisada por Ivon van der Pijl, antropóloga holandesa; a terceira, ocorrendo na Holanda, entre imigrantes brasileiros, tratando-se dos nossos dados de pesquisa. Com isso, procuramos identificar as distinções e aproximações entre os três diferentes casos, argumentando que, em determinados contextos transnacionais, no advento da morte de um migrante, através da performance de parte de familiares e/ou comunidades, instaura-se o que aqui problematizamos e categorizamos como o ritual de ‘duplo funeral’.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista ANTHROPOLÓGICAS
AV. Prof. Moraes Rêgo, 1.235. 13° andar
Cidade Universitária
50.670-901 - Recife - PE - Brasil
Tel.: (55) (81) 2126-8286 | Fax: (55) (81) 2121-8282
E-mail: anthropologicas@ufpe.br