Permanent education: assistance improvement tool for pressure ulcers

Lacir José Santin Junior, Gisleangela Lima Rodrigues Carrara, Priscila Baldo Possidônio, Silveria Maria Peixoto Larêdo, Lilian Donizete Pimenta Nogueira

Abstract


ABSTRACT

Objective: to analyze the incidence of pressure ulcers in a Special Care Unit. Method: this is a quantitative, descriptive and exploratory study, with educational intervention, in a medium-sized public hospital. The sample was composed by 10 participants. The technique of data collection was established through direct non-participant observation, and the results were presented in the form of tables. Results: 50 samples (n = 50) were observed, with an incidence of 48% (n = 24), with emphasis on ulcers related to medical devices (15%) and sacral (10%). The theoretical qualification of ten employees (n = 10) was established, and 90% of the employees missed questions related to the current classification of pressure ulcers, however, 90% were able to identify possible preventive forms. Conclusion: it is demonstrated by the results obtained that, despite being an avoidable phenomenon, it continues to be present in daily practice, necessitating the implementation of professional qualification measures as a strategy to reduce this aggravation. Descriptors: Health Education; Permanent Education; Quality management; Nursing; Pressure Ulcer; Continuing Education.

RESUMO

Objetivo: analisar a incidência de lesões por pressão em uma Unidade de Cuidados Especiais. Método: trata-se de um estudo quantitativo, descritivo e exploratório, com intervenção educacional, em um hospital público de médio porte. Compô-se a amostra por 10 participantes. Elencou-se a técnica de coleta de dados por meio de observação direta não participante, e os resultados apresentaram-se em forma de tabelas. Resultados: observaram-se 50 amostras (n=50) onde se constatou uma incidência de lesões por pressão de 48% (n=24), com destaque para as lesões relacionadas a dispositivos médicos (15%) e sacrais (10%). Constituiu-se a capacitação teórica de dez funcionários (n=10) e observou-se que 90% dos funcionários erraram questões relacionadas à atual classificação das lesões por pressão, entretanto, 90% souberam identificar possíveis formas preventivas. Conclusão: demonstra-se, pelos resultados obtidos, que, apesar de ser um fenômeno evitável, continua presente na prática diária, necessitando da implantação de medidas de qualificação profissional como estratégia de redução desse agravo. Descritores: Educação em Saúde; Educação Permanente; Gestão da Qualidade; Enfermagem; Lesão por Pressão; Educação Continuada.

RESUMEN

Objetivo: analizar la incidencia de lesiones por presión en una Unidad de Cuidados Especiales. Método: se trata de un estudio cuantitativo, descriptivo y exploratorio, con intervención educativa, en un hospital público de mediano porte. Se compone la muestra por 10 participantes. Se elaboró la técnica de recolección de datos por medio de observación directa no participante, y los resultados se presentaron en forma de tablas. Resultados: se observaron 50 muestras (n = 50) donde se constató una incidencia de lesiones por presión de 48% (n = 24), con destaque para las lesiones relacionadas con dispositivos médicos (15%) y sacros (10%). Se constituyó la capacitación teórica de diez funcionarios (n = 10) y se observó que el 90% de los funcionarios erraron cuestiones relacionadas a la actual clasificación de las lesiones por presión, sin embargo, el 90% supieron identificar posibles formas preventivas. Conclusión: se demuestra, por los resultados obtenidos, que, a pesar de ser un fenómeno evitable, sigue presente en la práctica diaria, necesitando la implantación de medidas de calificación profesional como estrategia de reducción de ese agravio. Descriptores: Educación en Salud; Educación Continua; Gestión de la Calidad; Enfermería;Úlcera por Presión.  


Keywords


Educação em saúde; Educação permanente; Qualidade; Enfermagem; Lesão por pressão.

References


Campolina AG, Adami F, Santos JLF, Lebrão ML. A transição de saúde e as mudanças na expectativa de vida saudável da população idosa: possíveis impactos da prevenção de doenças crônicas. Cad. saúde colet. 2013 Jun.; 29(6):1217-29.

Carvalho CA, Pinho JRO, Garcia PT. Epidemiologia: conceitos e aplicabilidade no Sistema Único de Saúde. São Luís: EDUFMA; 2017.

Sant’anna PPM. Prevenção da úlcera de pressão: resultados da ação educativa junto à equipe de enfermagem [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Enfermagem; 2012.

Olkoski E, Assis GM. Aplicação de medidas de prevenção para úlceras por pressão pela equipe de enfermagem antes e após uma campanha educativa. Esc Anna Nery. 2016 Abr./Jun.; 20(2):363-69.

Rogenski NMB, Kurcgant P. Incidência de úlceras por pressão após a implementação de um protocolo de prevenção. Rev. latinoam. enferm. [Internet]. 2012 Mar./Abr [citado em 6 mar. 2017]; 20(2). Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v20n2/pt_16.pdf

Laurenti TC, Domingues NA, Gabassa VC, Zem-Mascarenhas SH. Gestão informatizada de indicadores de úlcera por pressão. J. Health Inform. 2015 Jul./Set.; 7(3):94-98.

Cheregatti AL, Amorim CP, organizadores. Enfermagem em unidade de terapia intensiva. 2ª edição. São Paulo: Martinari; 2011.

Silva LAA, Bonacina DM, Andrade A, Oliveira TC. Desafios na construção de um projeto de educação permanente em saúde. Rev. enferm. UFSM. 2012 Set./Dez.; 2(3):496-506.

Salum NC, Prado ML. A educação permanente no desenvolvimento de competências dos profissionais de enfermagem. Texto & contexto enferm. 2014 Abr./Jun.; 23(2):301-08.

Ministério da Saúde (BR), Conselho Nacional de Saúde, Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Normas para pesquisa envolvendo seres humanos (Res. CNS466/2012 e outras. Brasília; 2012.

Associação Brasileira de Estomaterapia; Associação Brasileira de Enfermagem em Dermatologia. Classificação das lesões por pressão: Consenso NPUAP 2016: adaptada culturalmente para o Brasil [Internet]; 2016 [citado em 2 mar. 2017]. Disponível em: http://www.sobest.org.br/textod/35

Silva MLM, Caminha RTO, Oliveira SHS, Diniz ERS, Oliveira JL, Neves VSN. Úlcera por pressão em unidade de terapia intensiva: análise da incidência e lesões instaladas. Rev. RENE. 2013; 14(5):938-44.

Dantas ALM, Ferreira P C, Diniz KD, Medeiros ABA, Lira ALBC. Prática do enfermeiro intensivista no tratamento de úlceras por pressão. Rev. pesqui. cuid. fundam. 2014 Abr./Jun.; 6(2):716-24.

Silva MRV, Dick NRM, Martini AC. Incidência de úlcera por pressão como indicador de qualidade na assistência de enfermagem. Rev. enferm. UFSM. 2012 Maio/Ago.; 2(2):339-46.

Rocha JA, Miranda MJ, Andrade MJ. Abordagem terapêutica das úlceras de pressão: intervenções baseadas na evidência. Acta med. port. 2006; 19(1):29-38.

Oliveira CR. Associações entre carga de trabalho de enfermagem e ocorrência de úlceras por pressão em pacientes internados em unidade de terapia intensiva [dissertação]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais, Faculdade de Enfermagem; 2012.

Lomba L, Bessa R, Santos, S. Localização e medidas preventivas de úlcera de pressão em idade pediátrica: revisão integrativa da literatura. Rev. cuid. 2015; 6(2):1085-93.

Vasconcelos JMB, Caliri MHL. Ações de enfermagem antes e após um protocolo de prevenção de lesões por pressão em terapia intensiva. Esc anna nery rev. enf. [Internet]. 2017. [citado em 13 set. 2017]; 21(1). Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-81452017000100201 &lng=en&nrm=iso

Ministério da Saúde (BR), Secretaria da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Departamento de Gestão da Educação em Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde [internet]. Brasília; 2009 [citado em 22 jan. 2017]. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_educacao_permanente_saude.pdf

Barbosa TP, Beccaria LM, Poletti NAA. Avaliação do risco de úlcera por pressão em UTI e assistência preventiva de enfermagem. Rev. enferm. UERJ. 2014 Maio/Jun.; 22(3):353-58.




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963-v13i4a238112p1115-1123-2019

Refbacks

  • There are currently no refbacks.


 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

doajcrossref googleac

capes bvs ebesco elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios

 

Licença Creative Commons

A Revista de Enfermagem UFPE Online foi licenciada com uma Licença Creative Commons