Prevalence and factors associated with self-medication in nursing students

Karla Taísa Pereira Colares, Fernanda Caroline Ramos Barbosa, Barbhara Mota Marinho, Roberto Allan Ribeiro Silva

Abstract


Objective: to know the prevalence of self-medication and the factors associated with this practice among nursing students. Method: This is a quantitative, descriptive and cross-sectional study, in which 143 questionnaires were evaluated and tabulated by the Excel Program. Figures were presented for the synthesis of the results. Results: the prevalence of self-medication was 97.9%, with analgesics/antipyretics (50.71%), anti-inflammatory drugs (18.57%) and anti-allergic drugs (12.86%) were the most used therapeutic classes. The most common complaints as reasons for self-medication were headaches (53.57%), allergies (18.57%) and throat infections (17.14%). Conclusion: a high prevalence of self-medication was observed and demonstrated the need to strengthen university education for the rational use of drugs to preserve their own safety and their future patient's safety. Descriptors:  Self-Medication; Adverse Reactions; Pharmaceutical Preparations; Anti-inflammatory Agents; Students Nursing; Pharmacoepidemiology.

Resumo

Objetivo: conhecer a prevalência da automedicação e os fatores associados a essa prática entre os acadêmicos do curso de Enfermagem. Método: trata-se de um estudo quantitativo, descritivo e transversal, no qual foram avaliados 143 questionários, tabulados pelo Programa Excel. Apresentaram-se figuras para a síntese dos resultados. Resultados: identificou-se que a prevalência da automedicação foi de 97,9%, sendo os analgésicos/antitérmicos (50,71%), os anti-inflamatórios (18,57%) e os antialérgicos (12,86%) as classes terapêuticas mais utilizadas. Apurou-se que as queixas mais apontadas como motivos para a automedicação foram as dores de cabeça (53,57%), as alergias (18,57%) e as infecções de garganta (17,14%). Conclusão: observou-se alta prevalência da automedicação e se demonstrou a necessidade de se fortalecer a educação dos universitários para o uso racional de medicamentos a fim de se preservar a sua própria segurança, bem como a dos seus futuros pacientes. Descritores: Automedicação; Reação Adversa; Preparações Farmacêuticas; Anti-inflamatórios; Estudantes de Enfermagem; Farmacoepidemiologia.

Resumen

Objetivo: conocer la prevalencia de la automedicación y los factores asociados a esa práctica entre los académicos del curso de Enfermería. Método: se trata de un estudio cuantitativo, descriptivo y transversal, en el cual 143 cuestionarios fueron evaluados, tabulados por el Programa Excel. Se presentaron figuras para la síntesis de los resultados. Resultados: se identificó que la prevalencia de la automedicación fue de 97,9%, siendo los analgésicos/antitérmicos (50,71%), los anti-inflamatorios (18,57%) y los antialérgicos (12,86%) las clases terapéuticas más utilizadas. Se observó que las quejas más destacadas como motivos para la automedicación fueron los dolores de cabeza (53,57%), las alergias (18,57%) y las infecciones de garganta (17,14%). Conclusión: se observó una alta prevalencia de la automedicación y se demostró la necesidad de fortalecerse la educación de los universitarios para el uso racional de medicamentos para preservarse su propia seguridad, así como la de sus futuros pacientes. Descriptores: Automedicación; Efectos Colaterales; Preparaciones Farmacéuticas; Antiinflamatorios; Estudiantes de Enfermería; Farmacoepidemiogía.


Keywords


Automedicação; Reação adversa; Preparações farmacêuticas; Anti-inflamatórios; Estudantes de Enfermagem; Farmacoepidemiologia

References


Telles Filho PCP, Junior ACP. Automedicação em crianças de zero a cinco anos: fármacos administrados, conhecimentos, motivos e justificativas. Esc Anna Nery Rev Enferm. 2013 June; [cited 2018 May 10] 17(2): 291-7. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1414-81452013000200013.

Leite ICPCR, Furtado MMSCA, Rocha SS, Mariz SR, Oliveira TL, Peron AP, et al. Automedicação em acadêmicos: um estudo transversal. Bol inf Geum. 2016 Jan-Mar [cited 2018 May 10]; 7(1): 19-27. Available from: http://www.ojs.ufpi.br/index.php/geum/article/view/2275

SILVA FM, GOULART FC, LAZARINI CA. Caracterização da prática de automedicação e fatores associados entre universitários do curso de Enfermagem. Rev Eletrônica de Enfe. 2014 Sept [cited 2018 Jul 10]; 16 (3): 644-51. Available from: doi:https://doi.org/10.5216/ree.v16i3.20850.

Matos JF, Pena DAC, Parreira MP, Santos TC, Vital WC. Prevalência, perfil e fatores associados à automedicação em adolescentes e servidores de uma escola pública profissionalizante. Cad Saúde Colet. 2018 Mar [cited 2018 Aug 17]; 26 (1): 76-83. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1414-462x201800010351.

Gama ASM, Secoli SR. Self-medication among nursing students in the state of Amazonas – Brazil. Rev Gaúcha Enferm. 2017 May [cited 2018 Aug 07]; 38 (1): 1-7. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.01.65111.

Domingues MPS, Brandt GP, Oliveira APR, Souza SJP, Ramires MA, Burci LM. Automedicação em acadêmicos da área de saúde. Visão Acadêmica. 2017 Apr-June [cited 2018 Sep 14]; 18 (2): 4-11. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.5380/acd.v18i2.52943.

Santos B, Souza LG, Delgado NM, Torres WO. Incidência da automedicação em graduandos de Enfermagem. J Health Sci Inst. 2012 Apr-June [cited 2018 Apr 24]; 30(2): 156-60. Available from: https://www.unip.br/presencial/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2012/02_abr-jun/V30_n2_2012_p156-160.pdf.

Fontanella FG, Galato D, Remor KVT. Perfil de automedicação em universitários dos cursos da área da saúde em uma instituição de ensino superior do sul do Brasil. Rev Bras Farm. 2013 [cited 2018 Aug 12]; 94 (2): 154-60. Available from: http://www.rbfarma.org.br/files/rbf-94-2-11-2013.pdf.

Tomasini AA, Ferraes AMB, Santos JS. Prevalência e fatores da automedicação entre estudantes universitários no Norte do Paraná. Biosaúde, 2015 [cited 2018 Jun 11]; 17 (1): 1-12. Available from: http://www.uel.br/revistas/uel/index.php/biosaude/ article/view/25285/20458.

Souza HWO, Silva JL, Neto MS. A importância do profissional farmacêutico no combate à automedicação no Brasil. Rev eletrônica farm. 2008 [cited 2018 May 22]; 5 (1): 67-72. Available from: https://www.revistas.ufg.br/REF/article/download/ 4616/3938.

Carvalho AD, Carmo DM, Limone SC, Marini DC. Perfil da automedicação em universitários da cidade de Mogi Guaçu. Cad Estud Pesqui Foco. 2014 Jan-June [cited 2018 Feb 10]; 5 (6): 93-107. Available from: http://revistafoco.inf.br/index.php/ FocoFimi/article/view/46/45

Luz FAC, Silva GM, Borges HDS, Santos JF, Moura LD, Cândido TO, et al. Perfil comparativo da automedicação entre estudantes da universidade federal de Uberlândia. Rev Horiz Cient. 2014 [cited 2018 Jul 10]; 8 (1): 1-19. Available from:

http://www.seer.ufu.br/index.php/horizontecientifico/article/view/22529/14906.

Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA. Resolução RDC nº 20, de 05 de maio de 2011. Dispõe sobre o controle de medicamentos à base de substâncias classificadas como antimicrobianos, de uso sob prescrição, isoladas ou em associação. Diário Oficial da União 2011 [cited 2018 Oct 09]. Available from: http://www.anvisa.gov.br/sngpc/Documentos2012/RDC%2020%202011.pdf.

Alves TA, Malafaia G. Automedicação entre estudantes de uma instituição de ensino superior de Goiás. ABCS health sci. 2014 Sept-Dec [cited 2018 May 11]; 39 (3): 153-9. Available from: http://files.bvs.br/upload/S/2318-4965/2014/v39n3/a4697.pdf

Matos JF, Pena DA, Parreira MP, Santos TC, Coura-Vital W. Prevalência, perfil e fatores associados à automedicação em adolescentes e servidores de uma escola pública profissionalizante. Cad saúde colet. 2018 Mar [cited 2018 Sep 09]; 26 (1): 76-83. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1414-462x201800010351.

Silva LAF, Rodrigues AMS. Automedicação entre estudantes de cursos da área de saúde. Rev Bras Farm. 2014 [cited 2018 Apr 15]; 95 (3): 961-75. Available from: http://www.rbfarma.org.br/files/697--Automedicao-entre-estudantes-de-cursos-da-area--de-saude.pdf.

Weckx L. Antibiotics: from use to abuse. Braz j otorhinolaryngol. 2012 Apr [cited 2018 Mar 20]; 78(2): 2-2. Available from: DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1808-86942012000200001.

Jiménez IA, Zuñiga AV, Jara RC. Intoxicación aguda por Ácido Acetilsalicílico. Parte 2: Evaluación clínica y manejo. Rev Clin Esc Med UCR. 2016 Ene [cited 2018 Jun 19]. 1 (1): 152-8. Available from: http://www.medigraphic.com/pdfs/revcliescmed/ucr-2016/ucr161t.pdf

Rodrigues CR, Pereira IAG. Prevalência da automedicação entre acadêmicos da Universidade Estadual de Goiás – Campus Ceres. Rev Biotec Ciênc. 2016 [cited 2018 Mar 16]; 5 (1): 36-52. Available from: http://www.revista.ueg.br/index.php/ biociencia/article/view/5576/4183

Urbano AZR, Almeida AC, Henrique MP, Santos VG. Automedicação infantil: O uso indiscriminado de medicamentos nas cidades de Santos e de São Vicente. Rev Ceciliana. 2010 Dec [cited 2018 Apr 25]; 2 (2): 6-8. Available from: http://sites.unisanta.br/revistaceciliana/edicao_04/2-2010-6-8.pdf.

Sousa LA, Sena CFA. Automedicação entre universitários dos cursos de graduação na área da saúde na FCV-Sete Lagoas: influência do conhecimento acadêmico. Rev Bras Ci Vida. 2017 [cited 2018 Oct 01]; 5 (1): 1-21. Available from: http://jornal.faculdadecienciasdavida.com.br/index.php/RBCV/article/view/115/80

Rempel C, Goettert MI, Strohschoen AAG, Carreno I, Manfroi M, Moreschi C. Análise da medicação utilizada por diabéticos e hipertensos. Cad pedagógico. 2015 [cited 2018 Jun 19]; 12 (1): 241-252. Available from: http://www.univates.br/revistas/index.php/cadped/article/viewFile/948/936.

Gomes MA, Cruz FAO, Fragoso VMS, Pinto GC. Análise da automedicação em pacientes com diabetes. Vivências Rev. eletronica Exten URI. 2013 May [cited 2018 Jul 09]; 9 (16): 193-200. Available from: https://www.researchgate.net/publication /313114379_ANALISE_DA_AUTOMEDICACAO_EM_PACIENTES_COM_DIABETES_Analysis_of_the_self-medication_in_patients_with_diabetes.




DOI: https://doi.org/10.5205/1981-8963.2019.239756



Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

 

INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

doajPeriódicoscapes

bvs elsevier nlm diadorim periodicaabec

 

cinahl citefactor cuidenplusb socolar ulrichs sumarios