DETECÇÃO DE TENDÊNCIAS NA OCORRÊNCIA DE VERANICOS NA MICRORREGIÃO DO PAJEÚ – PE

Deivide Benicio Soares, Ranyére Silva Nóbrega

Resumo


O Semi-árido pernambucano tem como característica marcante a irregularidade espaço-temporal das precipitações pluviométricas. Em meio a essa irregularidade pode-se destacar a fenômeno dos veranicos, definidos, nesse contexto, como um período de dias consecutivos sem chuva dentro da estação chuvosa. Os veranicos prolongados, característicos do Sertão nordestino, têm um impacto considerável na agricultura de sequeiro, assim como nos recursos hídricos, elevando as taxas evaporativas, o que agrava a condição de semi-aridez. Diante de um quadro de mudanças climáticas associadas ao aquecimento global, o relatório do IPCC (2007) aponta que as regiões semi-áridas e áridas são as mais vulneráveis, sendo, portanto, imprescindível que essa vulnerabilidade seja quantificada assim como estudadas as possibilidades de mitigação e adaptação. Em vista disso, este trabalho se propôs a fazer uma tentativa de encontrar tendências na ocorrência de veranicos na Microrregião Geográfica do Pajeú-PE, constatando, a partir das séries históricas de precipitação de seis diferentes postos pluviométricos, no período de 1965 a 2004, que está ocorrendo uma tendência de aumento do tamanho máximo e do tamanho médio dos veranicos nessa Microrregião, porém a variável quantidade de veranicos não apresentou tendência significativa.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES