IDENTIFICAÇÃO DAS ÁREAS DE CONFLITO DE USO DA TERRA NA MICROBACIA DO RIACHO DO TRONCO, BOA VISTA, PB

Josandra Araújo Barreto de Melo, Eduardo Rodrigues Viana de Lima, Ronildo Alcântara Pereira, José Dantas Neto

Resumo


Tendo em vista o risco à desertificação que ameaça o Semi-árido brasileiro decorrente, sobretudo, das ações antrópicas desencadeadas pelo uso/ocupação das terras de forma não consonante com sua vocação natural, esta pesquisa propõe, a partir da subdivisão da microbacia do Riacho do Tronco, Boa Vista, PB em oito sub-microbacias, a identificar as formas de uso/ocupação atual e as aptidões individuais, identificando as áreas de conflitos de uso na microbacia como um todo, subsidiando o ordenamento territorial e minimizando os riscos à desertificação. Fazendo-se uso de técnicas de geoprocessamento e trabalho de campo, foram calculadas as classes de uso atual e os parâmetros que permitiram estabelecer o Coeficiente de Rugosidade, segundo metodologia adaptada no Brasil por Rocha (1997), possibilitando a identificação das áreas em conflitos de uso. Os resultados demonstraram que o uso/ocupação atual, representado, sobretudo pela agricultura e pecuária extensiva, não está em consonância com a aptidão natural de algumas sub-microbacias, pois de acordo com os parâmetros da metodologia, apenas quatro são aptas para agricultura, três para pecuária/florestamento e uma apenas para florestamento. A partir do exposto, evidenciam-se conflitos em 33,70% da microbacia, tornando o ambiente propenso à desertificação, requerendo investimentos em manejo para mitigar os impactos ambientais identificados.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.