POSSIBILIDADES DE GARANTIA DO DIREITO À MORADIA: A EXPERIÊNCIA DA OCUPAÇÃO JOSUÉ DE CASTRO – ENTRE AS DIFICULDADES E A ESPERANÇA DA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO TERRITÓRIO!

Cláudio Jorge Castilho

Resumo


O objetivo principal deste artigo é instigar uma reflexão sobre possibilidades concretas de efetivação da garantia do droît à la ville pelas práticas dos movimentos socioespaciais urbanos atuais que lutam por uma moradia digna, no contexto histórico-geográfico contemporâneo; o que será feito através da análise da experiência de moradores pobres que ocuparam, em setembro de 2008, um terreno privado que não estava cumprindo com a função social, segundo o que regulamenta o Estatuto da Cidade. Do ponto de vista metodológico, primeiro, indicamos o que estamos enxergando de diferente no movimento socioespacial considerado; segundo, apresentamos a experiência da ocupação Josué de Castro; terceiro, apontamos alguns impasses e desafios à construção de um novo território; quarto e último, recolocamos o papel de assessoria de instituições públicas neste processo, a exemplo do MSEU-UFPE, na dinâmica daquela ocupação onde, não obstante as tantas dificuldades enfrentadas no cotidiano, ainda existem sentimentos de esperança e confiança na construção de um espaço efetivamente novo.

Palavras-chave: Direito à moradia, Movimentos socioespaciais, Território, Ocupação Josué de Castro.

Texto completo:

PDF PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.