EFEITOS MORFOLÓGICOS NAS BARREIRAS COSTEIRAS DO LITORAL CENTRO-NORTE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO: RESULTADOS DO EVENTO DE TEMPESTADE DE ABRIL DE 2010

Eduardo Manuel da Rosa Bulhões, Guilherme Borges Fernandez, Thais Baptista da Rocha

Resumo


Em Abril de 2010 o litoral fluminense foi severamente afetado por uma ressaca excepcional. Ondulações acima de três metros geradas ao largo da costa incidiram preferencialmente de sudeste, alterando regionalmente a borda oceânica das barreiras costeiras entre Cabo Frio e Macaé. A partir de avaliações de perfis topográficos os resultados mostraram que a parte norte de todos os arcos foi a mais afetada. Em função das características geomorfológicas das barreiras as alterações, porém foram diferentes. Nos arcos de Praia entre o Cabo Búzios e o Cabo Frio, onde as barreiras costeiras estão associadas a dunas frontais notou-se de forma predominante erosão na base das dunas. No Cabo Búzios, onde as praias são encaixadas e expostas a diferentes direções de ondas, as praias voltadas para o quadrante sul foram mais afetadas com erosão na base das dunas e recuo da escarpa erosiva. Na borda voltada para o quadrante norte as praias não sofreram alterações e alguns arcos sofreram sedimentação. No litoral entre Rio das Ostras e Macaé os resultados mostraram forte recuo da escarpa erosiva e dissecação de lagunas no reverso da barreira.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES