REGIME DE FLUXO E ALTERAÇÕES HIDROLÓGICAS NO RIO TIBAGI-BACIA DO RIO PARANAPANEMA / ALTO PARANÁ

Alex Paulo de Araujo, Paulo Cesar Rocha

Resumo


O fluxo do rio é compreendido como parte integrante de um sistema hidrológico. Esse regime pode ser analisado pela variabilidade de vazões mínimas, médias e máximas. Contudo, a variabilidade espacial e temporal natural do seu regime, somado às alterações antrópicas sobre os sistemas fluviais, dificultam os relacionamentos entre as variáveis componentes. Neste estudo foi avaliada a variabilidade hidrológica interanual do rio Tibagi, por meio dos dados da série histórica de 11 estações fluviométricas existentes na sua bacia. Destas estações foram selecionados dois postos fluviométricos representativos da bacia, os postos Uvaia (64444000) e Jataizinho (64507000), englobando trechos do alto e baixo curso do rio, respectivamente. Para estes postos foi aplicada uma classificação das vazões anuais, divididas em cinco classes: muito úmida, úmida, média, seca e muito seca com base no método da Condição Hídrica da bacia hidrográfica (CHid). Os resultados demonstraram que a bacia do rio Tibagi sofreu um aumento dos débitos após a década de 1970, sendo identificada uma concentração de anos com vazões baixas (classe seca) no período anterior. Observou-se também que o aumento das vazões associa-se não apenas ao aumento de precipitações na bacia, mas também às alterações no uso do solo.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES