POLÍTICAS DE TURISMO EM ÁREAS PROTEGIDAS: O CASO DO PARQUE ESTADUAL DA PEDRA DA BOCA (ARARUNA/PB)

Márcio Balbino Cavalcante

Resumo


As Unidades de Conservação, principalmente os parques nacionais e estaduais, estão entre as principais destinações do turismo de aventura e do ecoturismo. Tanto é que o Sistema Nacional de Unidades de Conservação – SNUC (Lei nº 9.985/2000) contempla a prática de atividades turísticas, no caso, o ecoturismo nessas unidades territoriais. Apesar de essas áreas serem locais destinados à conservação ambiental, exercício da educação ambiental, pesquisa científica e contemplação da natureza em seu estado original ou mais próximo deste, a prática da atividade turística muitas vezes não atende a essas finalidades. Diante do exposto, a presente pesquisa tem como objetivo principal realizar uma avaliação das atividades turísticas e as ações de gestão territorial no Parque Estadual da Pedra da Boca (PEPB), localizado no município de Araruna/PB. Para a concretização deste trabalho foram desenvolvidas as seguintes etapas metodológicas: pesquisa bibliográfica e documental; elaboração e aplicação dos instrumentos de pesquisa de campo e sistematização e análise dos resultados. Os dados e as informações obtidas demonstram que o Parque conta com um potencial notável para o turismo, em especial o ecoturismo e geoturismo, porém, precisa-se de que sejam desenvolvidas ações de gestão territorial, com o intuito de subsidiar o ordenamento do uso turístico no local.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.