Caracterização de extremos anuais de precipitação para o estado de Sergipe

Washington Luiz Félix Correia Filho, Laurizio Emanuel Ribeiro Alves, Maurílio Neemias dos Santos

Resumo


O agravamento das mudanças climáticas nos últimos anos tem propiciado numa maior ocorrência na quantidade dos eventos extremos, motivados por alterações no tempo e o clima global. Neste trabalho avaliaram-se os máximos anuais de precipitação e o índice de anomalia de chuva (IAC) por três estações pluviométricas do estado de Sergipe para o período de 1993 a 2015, a fim de caracterizar o padrão dos extremos via distribuição GEV (percentil 95) e a variabilidade anual entre anos secos / chuvosos. Verificou-se que os parâmetros de localização e de escala da distribuição GEV foram similares entre as estações utilizadas, entre 49,52mm e 60,95mm, e entre 19,70mm e 22,83mm, respectivamente. Já o parâmetro de forma, as estações de Aracaju e Itabaianinha se ajustam a uma distribuição Fréchet, enquanto a estação de Propriá se ajusta a uma Weibull negativa. Os períodos de retorno previstos apontaram que chuvas acima de 150 mm (Aracaju) e entre 100-120 mm (Itabaianinha e Propriá) para os próximos 5-10 anos. Os valores de IAC foram negativos em ano subsequente a ocorrência de El Niño, no entanto, no La Niña de intensidade moderada ocorrido em 2011, no ano de 2012 registrou o maior IAC negativo do período de estudo.

Palavras-chave: Índice de Anomalia de Chuva, Distribuição GEV, Aracaju


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES