CAMPESINATO EM TEMPOS DE AGRONEGÓCIO – ENTRAVES PARA A REPRODUÇÃO CAMPONESA E RESISTÊNCIA FRENTE À EXPANSÃO DO CAPITALISMO NO CAMPO

Anamaria Medeiros

Resumo


 Frente à expansão do modelo neoliberal de agricultura no Brasil apoiado pelo Estado da mundialização da agricultura e atuação do agronegócio no país, o campesinato vem, gradativamente, perdendo seu espaço no cenário agrário, pois o modo de vida camponês não corresponde ao modelo de agricultura proposto pelo capitalismo e tolhe esses sujeitos do seu direito à terra e a garantia da reprodução do seu modo de vida. Nesse contexto, buscou-se no presente trabalho, analisar algumas questões que representam entraves à reprodução do campesinato, tais como o processo de mundialização da agricultura e seus impactos diretos para os camponeses que não se inserem na sua lógica e a questão agrária como estrutural e o papel do Estado que tem por dever garantir que os direitos mínimos sejam assegurados à estes sujeitos. Por fim, trabalhou-se a questão da condição camponesa, as possibilidades e mecanismos de resistência ao capital e a recampesinização, por considerar que a sobrevivência do campesinato dentro do sistema, só se dará através da luta contra-hegemônica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.