ESTUDOS EMPÍRICOS DE IMPACTO METEÓRICO: QUESTÕES BÁSICAS DE CONSISTÊNCIA EM ARACAJU-SE

Josefa Eliane Santana Pinto, João Luiz Santana Brazil

Resumo


O artigo presente versa sobre questões de consistência, procedimentos e métodos de referência no contexto teórico da obra Teoria e Clima Urbano e traz experiências pessoais relativas aos princípios estabelecidos ao campo meteórico relativo à observação e associação da pluviosidade na ordem de grandeza espacial restrita. Aracaju encontra-se exposta a riscos ambientais, não só em relação a pluviosidade, mas apresenta carência nos sistemas de drenagem, deficiências de equipamento de proteção e monitoramento, alerta e prevenção a chuvas, susceptível a danos, promovendo enchentes e alagamentos e, pontualmente, favorecendo deslizamentos, incidindo diferentemente no espaço em função das condições socioambientais. O mapeamento das possíveis áreas de risco, associadas às características das precipitações, favoreceram resultados, que, fundados em conhecimentos teóricos precedentes, concluiu-se que o risco a inundações da cidade é definido espacialmente, estando mais concentrados na zona norte e sul da cidade, excluindo o centro. Enfim, experimentos locais comprovaram a validade e operacionalidade da TCU de Carlos Augusto de F. MONTEIRO, proposta e projetada na Livre Docência, tornada pública em 1976, nos cadernos da USP e em 2003, no livro organizado Clima Urbano. Princípios e critérios de escolha orientam pesquisas no campo da Climatologia Geográfica.

Palavras-Chaves: Clima Urbano; Impacto meteórico; Riscos climáticos; Inundações.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES