VARIAÇÕES DO RITMO CLIMÁTICO NO PIEMONTE ITALIANO: REFLEXOS NO VALE DE SUSA (NEVE E TURISMO) E NO "TERROIR" DO BAROLO (PRODUÇÃO VITIVINÍCOLA)

João Afonso Zavattini, Simona Fratianni

Resumo


O Vale de Susa foi escolhido pela riqueza de dados nivométricos disponíveis e com boa distribuição geográfica. Foram considerados os valores da espessura do manto nevoso e, quando possível, da altura da neve fresca, registrados pela Arpa Piemonte, bem como os da presença de turistas em hotéis e demais instalações turísticas, fornecidos pela Provincia di Torino, no período 1990-2005. Tendo em vista que no Vale de Susa alternam-se tipos de tempo favoráveis e desfavoráveis à prática do esqui de neve, foram considerados dois invernos consecutivos e contrastantes que serviram para aprofundar o conhecimento da variabilidade em jogo, ligada ao clima e ao turismo (FRATIANNI; ZAVATTINI, 2011; FRATIANNI; ZAVATTINI, 2007). Além disso, foram analisados dados climáticos diários de 12 estações meteorológicas localizadas na área de cultivação de videiras Nebbiolo ("terroir" do Barolo) e arredores. Foram analisados, também, os principais limites climáticos que interferem no desenvolvimento fenológico da uva recorrendo, inclusive, ao estudo do ritmo climático, que permitiu determinar as características favoráveis e desfavoráveis à viticultura. O estudo dos tipos de tempo, desenvolvido graças à análise de cartas isobáricas diárias, revelou-se extremamente útil à compreensão da diferença da qualidade entre safras vitivinícolas subsequentes (FRATIANNI; ZAVATTINI, 2009; FRATIANNI; ZAVATTINI, 2006).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJLATINDEX
ROADDRJI
PERIÓDICOS CAPES