A GEOGRAFIA DO MAL: UM ARQUIVO À SOMBRA DO DENUNCISMO

Bruno Nunes Batista, Antonio Carlos Castrogiovanni

Resumo


Este artigo discute um dos elementos mais presentes nos textos pedagógicos da Geografia: a queda. Procura enfatizar que o denuncismo subjacente à Geografia que se faz na escola não é recente. Nesse sentido, certos arquivos, presentes no periódico Boletim Geográfico (1943-1978) permitem identificar algumas das raízes para entender por que, ainda hoje, escreve-se com determinadas normas, e com um dado jeito. O texto divide-se da seguinte maneira: primeiro, comenta sobre a análise de discurso à luz da arqueologia do saber de Michel Foucault. Na sequência, a partir do conceito de arquivo, compartilha fragmentos de textos sobre ensino de Geografia publicados entre a primeira e o início da segunda metade do século XX que descrevem o estado dessa disciplina escolar – e o resultado beira a catástrofe. Por último, insere tais ditames no interior da Modernidade, um período epistêmico que ajuda a pensar contemporaneamente as práticas pedagógicas. No meio disso tudo, uma singular constatação: a extinção da Geografia na Escola Básica.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


INDEXADORES E BASE DE DADOS

 

DOAJ
ROADDRJI

PERIÓDICOS CAPES

 

 

 

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 International License.

Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos: a) Autores mantém os direitos autorais e concedem à  revista o direito de primeira publicação, com o trabalho licenciado sob a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional. b) Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal), já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado. c) Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de uso gratuito, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais.