Territórios Monocultores e a (In)Sustentabilidade Ambiental: uma discussão acerca dos impactos da queima de cana de açúcar no Vale Sanfranciscano

Clecia Simone Gonçalves Rosa Pacheco, Reinaldo Pacheco dos Santos

Resumo


A cana de açúcar ocupa mais de oito milhões de hectares do território brasileiro e faz do nosso país o maior produtor mundial de cana e seus derivados. No entanto, algumas práticas têm contribuído de maneira significativa para o aumento de CO2 na atmosfera, além de outros gases e partículas, como a fuligem que prejudicam a saúde humana. O presente artigo discutirá sobre a existência desses territórios monocultores e a (in) sustentabilidade ambiental, gerada a partir da queima da cana de açúcar no Vale do Submédio Sanfranciscano, objetivando apontar os principais impactos socioambientais e elencar algumas causas e consequências de tais praticas agrícolas. Portanto, trata-se de uma pesquisa descritiva, de caráter bibliográfico, onde se fundamentará, em diversos autores que versam sobre tal temática.


Palavras-chave


Território; Monocultura; (In) sustentabilidade Ambiental

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




INDEXADORES E BASES BIBLIOGRÁFICAS:

          

         

    

 

 

 

 

REVISTA MOVIMENTOS SOCIAIS E DINÂMICAS ESPACIAIS (ISSN: 2238-8052)

Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente

Departamento de Ciências Geográficas, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Cidade Universitária, Av. Prof. Moraes Rego, n. 1235, CEP: 50670-901, Recife, Pernambuco, Brasil

Tel.: +55 (81)2126-7369

E-mail: revistamsde@gmail.com

 

 Licença Creative Commons

 A Revista Movimentos Sociais e Dinâmicas Espaciais foi licenciada com uma Licença Creative Commons