ARTE E POLÍTICA NO BRASIL – OS ANOS 1960: questões de arte e participação social

Paulo Marcondes Ferreira Soares

Resumo


Este ensaio tem como pauta alguns aspectos envolvidos em certa experiência de manifestações da neovanguarda no Brasil nos anos de 1960, sobretudo, no tocante ao objeto plástico e suas transformações relativamente ao que se poderia caracterizar como meio de arte e como projeto de participação social da arte. Neste caso, as questões se voltam para a ideia da abertura ao envolvimento direto do público para com as proposições dos artistas, bem como dos aspectos coletivos de produção aí envolvidos. A discussão desses pontos tem como foco as tensões entre engajamento político e experimentalismo artístico, particularmente, face ao que parece ter resultado numa sensível mudança quanto ao uso de imagens vinculadas às categorias de “povo” e de “popular”, aparentemente transpostas para a configuração da categoria de “massa”, em contextos urbano e suburbano.

Texto completo:

HTML

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427