MARCAS DA REFORMA UNIVERSITÁRIA DE 1968 E NOVOS DESAFIOS PARA A UNIVERSIDADE BRASILEIRA

Silke Weber

Resumo


A Reforma Universitária de 1968, solução temporária para problemas relativos a formação em nível superior debatidos desde as primeiras décadas do século XX, deixou marcas no debate contemporâneo sobre a educação superior no Brasil. Tais marcas sao visíveis na legislação disponível, estudos e propostas que rediscutem temas e problemas recorrentes no ensino superior e nas politicas públicas que tem privilegiado o formato institucional "universidade", suas finalidades e condições para a sua concretização. O estudo mostra que o debate sobre universidade no Brasil tem tido como horizonte implícito ou explicito a modernização do pais e que esse caráter instrumental, em detrimento de seus elementos finalísticos, explicaria por que politicas de Governo não tem logrado firmar-se como politica de Estado. Busca indicar, ainda, os sentidos prevalecentes que tem sido produzidos, confirmados, ou negociados ao longo do debate sobre universidade no Brasil, entendidos como discursos que expressam um campo de disputa pela hegemonia de projetos de sociedade. O estudo aponta o desafio que representa a aceitação de um modelo misto de universidade que preserve o seu caráter de instituição social capaz de associar as demandas das ciências àquelas provindas do mundo social, cultural, econômico, politico e tecnológico da sociedade brasileira.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427