ENTRE ROMEIROS E TURISTAS: a busca do turismo religioso como alternativa econômica em um município do sertão baiano

Mísia Lins Ressink

Resumo


As cidades do sertão baiano conhecem poucas alternativas econômicas, pois dependem em primeira instância de recursos naturais, artefatos humanos ou atrações imateriais presentes no local. Diante disso, a esses municípios são apresentados projetos de desenvolvimento cujo motor seria o turismo. Entretanto, o que pode diferenciar um determinado município dando-lhe um atrativo particular é, como no caso de Monte Santo, tratar-se de um centro de romaria. Este artigo pretende, assim, discutir a visão que os habitantes da cidade de Monte Santo têm da romaria, em especial dos romeiros, e do ‘turismo’, em particular dos turistas, ou seja: como estes dois fenômenos são vistos por eles em relação ao que almejam como desenvolvimento e modernidade. Por fim, são abordadas as diferenças socioculturais entre romaria  e turismo, que levam a algumas questões sobre o caráter ‘social’ e ‘sustentável’ a ser esperado de um aumento real do turismo nesta cidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427