MEDIAÇÕES E TROCAS SIMBÓLICAS NA TELEDRAMATURG1A BRASILEIRA

Adayr Tesche

Resumo


A adaptação de A casa das sete mulheres para a televisão, em Janeiro de 2003, pela Rede Globo de Televisão, reabre a instigadora discussão sobre a relação entre História e ficção. Apesar dos rígidos estereótipos que marcam o esquema dramático da teledramaturgia, da presença de fortes condicionantes em sua gramática visual e de sua lógica padronizadora, ela é urn lugar privilegiado para observar os cruzamentos entre a televisão e outros campos culturais. A centralidade da questão midiática sinaliza o deslocamento do foco de interesse para o complexo de implicações que tern o suporte televisivo com suas lógicas de produção, suas técnicas narrativas, formatos e ritualidades. O interesse volta-se para o tipo de operações que constituem essas invasões/apropriações através das quais acontecem as trocas simbólicas entre os campos da ficção e da História, mediadas pela televisão.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427