A TEORIA DO VALOR DE WINDELBAND E RICKERT: fundamentos temporais de uma teoria do conhecimento

Jonatas Ferreira

Resumo


Neste artigo argumenta-se em favor de uma leitura da teoria do valor de Windelband e Rickert a partir de seus fundamentos temporais e ontológicos. Partindo de uma compreensão dos aspectos históricos que motivaram o neokantismo a retomar o sujeito como âmbito de realização da liberdade política, procura-se indicar a contradição que necessariamente advém de centrar tal subjetividade e tal liberdade sobre uma percepção disjuntiva, descontinua do presente. Por um lado, apenas a legitimação desta disjunção permitirá conceber um projeto cientifico estruturado sobre o sujeito (apenas o reconhecimento de tal disjunção permite elaborar uma alternativa liberal para ciências humanas). Por outro lado, nenhum projeto de conhecimento científico (aqui entendido como universal e atemporal) poderia se fundar confortavelmente num terreno tão precário - de algum modo este presente terá que se mostrar transcendente em relação às fraturas temporais que ele percebe ser sua própria condição de possibilidade.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427