GILBERTO FREYRE: Tempos de Aprendiz

Antônio Paulo Rezende

Resumo


RESUMO: Neste artigo analisamos as relações entre o moderno e o antigo, buscando compreender como se produziam as representações sobre a modernidade no Recife do inicio do século. Analisa-se a obra de Gilberto Freyre escrita na década de vinte. O objetivo é não perder de vista as ambiguidades marcantes na sua obra e da sua personalidade. É importante, inclusive, verificar como este autor cria suas representações sobre si mesmo, como alimenta paradoxos, para ele uma marca da sua intrigante maneira de ser. Nada mais sugestivo do que se dize r "modernista ao seu modo tradicionalista".


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427