MODELO AUTOCRÁTICO-BURGUÊS: Uma sociologia do desenvolvimento desigual e combinado

Lucas Trindade Silva

Resumo


Neste ensaio, pretendo demarcar o modelo autocrático-burguês, sintetizado por Florestan Fernandes em A Revolução Burguesa no Brasil, como uma contribuição teórica original numa rica gramática do desenvolvimento desigual e combinado, ou da simultaneidade do não-simultâneo, para pensar as temporalidades e estruturas sócio-históricas. Na introdução, um tanto alongada, tento dar, como proposta de interlocução e pesquisas ulteriores, os primeiros passos numa genealogia abarcadora do desenvolvimento desigual e combinado. Na seção seguinte, em uma abordagem imanente, reconstruo o modelo autocrático-burguês em Florestan. Na terceira e última seção busco fundamentar o modelo autocrático-burguês como uma sociologia do desenvolvimento desigual e combinado.

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




@ 2012 - PPGS - Revista do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFPE.

ISSN Impresso 1415-000X

ISSN Eletrônico 2317-5427