INSTITUCIONALIZAÇÃO DA PRÁTICA DE ELABORAÇÃO DO RELATÓRIO DE GESTÃO: ESTUDO DE CASO DA CONTROLADORIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

Jackeline Martins da Silva Paula, Rezilda Rodrigues Oliveira, Gabriela de Vasconcelos, Telma Maia Pinheiro

Resumo


Busca-se identificar como ocorre a institucionalização de hábitos e rotinas da Controladoria da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) no que tange à elaboração de seu Relatório de Gestão. Para tanto, examinou-se a literatura referente aos componentes intrínsecos de um dado processo de institucionalização, principalmente àqueles que dão suporte ao estudo de diferentes atores, práticas, rotinas e peculiaridades típicos desta área de pesquisa contábil. O trabalho de Boff et al. (2008) serviu como referência da abordagem metodológica utilizada, destacando-se as replicações e adaptações consideradas necessárias diante da delimitação, contextualização e especificidades teórico-empíricas deste estudo de caso. Assim, algumas evidências corroboram tal institucionalização ligada ao Relatório de Gestão da UFPE no âmbito da Controladoria, quais sejam: consolidação de hábitos e rotinas por parte de seus integrantes, junto com a consistente eficiência de seu funcionamento, dentre outros aspectos analisados. 


Palavras-chave


Controladoria; Teoria Institucional; Relatório de Gestão; Institucionalização de Hábitos e Rotinas.

Texto completo:

Artigo

Referências


BARDIN, L. Análise de Conteúdo: Edição Revisada e Atualizada. Lisboa: Edições 70, 2010.

BARLEY, S. R.; TOLBERT, P. S. Institutionalization and Structuration: Studying the Links between Action and Institution. Organization Studies, 18(1): 93-117, 1997.

BEUREN, I. M.; MÜLLER, E. T. C. Institucionalização da Controladoria em Empresas Familiares. Revista Registro Contábil, 4(2): 69-88, 2013.

BEUREN, I. M.; ZONATTO, V. C. da. Perfil dos Artigos sobre Controle Interno no Setor Público em Periódicos Nacionais e Internacionais. Revista de Administração Pública, 48(5): 1135-1163, 2014.

BOFF, M. L.; BEUREN, I. M.; GUERREIRO, R. Institucionalização de Hábitos e Rotinas da Controladoria em Empresas do Estado de Santa Catarina. Revista Organizações & Sociedade, 15(46): 153-174, 2008.

BOYNE, G. A. Public and private management: what’s the difference? Journal of Management Studies, 39 (1): 97-122, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, 05 de outubro de 1988. Disponível em: . Acesso em: 17 jul. 2016.

BURNS, J.; SCAPENS, R. W. Conceptualizing Management Accounting Change: an Institutional Framework. Management Accounting Research, 11(1): 3-25, 2000.

DiMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. A Gaiola de Ferro Revisitada: Isomorfismo Institucional e Racionalidade Coletiva nos Campos Organizacionais. Revista de Administração de Empresas, 45(2): 74-89, 2005.

EASLEY, R. W.; MADDEN, C. S.; DUNN, M. G. Conducting Marketing Science: The Role of Replication in the Research Process. Journal of Business Research, 48: 83–92, 2000.

FONSECA, V. S.; MACHADO-DA-SILVA, C. L. Conversação entre Abordagens da Estratégia em Organizações: Escolha Estratégica, Cognição e Instituição. Revista Organizações & Sociedade, 9(25): 93-110, 2002.

GALLIANO, A. G. Introdução à Sociologia. São Paulo: Harbra, 1981.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMES, A. O.; PETER, M. G. A.; MACHADO, V. V.; OLIVEIRA, T. E. A Institucionalização da Controladoria do Poder Executivo Municipal no Estado do Ceará. Revista Contabilidade, Gestão e Governança, 16(1): 35-50, 2013.

GUERREIRO, R.; FREZATTI, F.; LOPES, A. B.; PEREIRA, C. A. O Entendimento da Contabilidade Gerencial sob a Ótica da Teoria Institucional. Revista Organizações & Sociedade, 12(35): 91-106, 2005.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C. A.; FREZATTI, F. Evaluating management accounting change according to the institutional theory approach A case study of a Brazilian bank. Journal of Accounting & Organizational Change, 2(3): 196-228, 2006.

GUERREIRO, R.; PEREIRA, C. A.; REZENDE, A. J. Em Busca do Entendimento da Formação dos Hábitos e das Rotinas da Contabilidade Gerencial: Um Estudo de Caso. RAM – Revista de Administração Mackenzie, 7(2): 78-101, 2006.

JEPPERSON, R. L. Instituciones, Efectos Institucionales e Institucionalismo. In POWELL, W.; DiMAGGIO, P. J. (Org.). El nuevo institucionalismo en el análisis organizacional. Chicago: The University of Chicago Press, 1999.

LAWRENCE, T. B.; SUDDABY, R.; LECA, B. Introduction: Theorizing and Studying Institutional Work. In: LAWRENCE, T. B.; SUDDABY, R.; LECA, B. Institutional Work: Actors and Agency in Institutional Studies of Organizations. Cambridge: Cambridge University Press, 2009.

LENNAN, M. L. F. M.; AVRICHIR, I. A Prática da Replicação em Pesquisas do tipo Survey em Administração de Empresas. Revista Administração: Ensino e Pesquisa, 14(1): 39-61, 2013.

LUNKES, R. J.; GASPARETTO, V.; SCHNORRENBERGER, D. Um Estudo sobre as Funções da Controladoria. RCO – Revista de Contabilidade e Organizações, 4(10): 106-126, 2010.

KLAN, R. C.; LIMA JÚNIOR, BEUREN, I. M. Mudança nos Hábitos e Rotinas da Contabilidade Gerencial nas Empresas de Governança Corporativa em Santa Catarina. Contabilidade Vista & Revista, 17(3): 67-89, 2009.

KRAMER, R. Trust and Distrust in Organisations: Emerging Perspectives, Enduring Questions. Annual Review of Psychology, 50: 569-598, 1999.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; AMARAL FILHO, R. G. Estratégia e Teoria Institucional: Uma Proposta Discursiva de Integração. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 39, Salvador, 2006. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - ANPAD. Salvador, 2006.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. S.; CRUBELLATE, J. M. Estrutura e Interpretação: Elementos para uma Abordagem Recursiva do Processo de Institucionalização. Revista de Administração Contemporânea, 9(1): 9-39, 2005.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; GUARIDO FILHO, E. R.; NASCIMENTO, M. R.; OLIVEIRA, P. T. Formalismo como Mecanismo Institucional Coercitivo de Processos Relevantes de Mudanças na Sociedade Brasileira. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 25, Campinas, 2001. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - ANPAD. Campinas, 2001.

MACHADO-DA-SILVA, C. L.; FONSECA, V. Homogeneização e Diversidade Organizacional: uma Visão Integrativa. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO, 23, XXIII, Salvador: 1993. Anais do Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração - ANPAD. Salvador, 1993.

MAJOR, M. J. O positivismo e a pesquisa ‘alternativa’ em Contabilidade. R. Cont. Fin. – USP, 28(74): 173-178, 2017

MARTINS, G. A. Estudo de Caso: Uma Estratégia de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2006.

OLIVEIRA, L. M.; PEREZ JR., J. H.; SILVA, C. A. S. Controladoria Estratégica: Textos e Casos Práticos com Solução. São Paulo: Altas, 2011.

PADOVEZE, C. L. Controladoria Básica. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

PENG, R. D. Reproducible research and Biostatistics. Biostatistics, 10(3):405-408, 2009.

RAUPP, F. M.; BEUREN, I. M. Metodologia da Pesquisa Aplicável as Ciências Sociais. In: BEUREN, I. M. (Org). Como Elaborar Trabalhos Monográficos em Contabilidade. São Paulo: Atlas, 2006.

REZENDE, F. C. O Dilema do Controle e a Falha Sequencial nas Reformas Gerenciais. Revista do Serviço Público, 53(3): 50-74, 2002.

SCOTT, W. R. Institutional Theory: Contributing to a Theoretical Research Program. Oxford: Oxford Univ. Press, 2005.

SELVA, C. R. G. A Utilidade dos Relatórios Contábeis como Meio de Informação no Processo de Tomada de Decisão. Contábeis o Portal da Profissão Contábil. 2006. Disponível em: . Acesso em: 15 ago. 2016.

SENGER, C. M.; CESARO, N. H. A Importância dos Relatórios Contábeis Gerenciais na Tomada de Decisão das Organizações de Determinado Setor Econômico de Um dos Municípios da Região do CODEMAU. Revista de Administração, 3(3): 133-152, 2003.

SOARES, I. S.; SIENA, O. Característica de Gestão e do Controle em uma Universidade Pública Federal: uma Análise de Documentos Oficiais. Revista de Administração e Negócios da Amazônia, 3(3): 1-19, set/dez. 2011.

TOLBERT, P. S.; ZUCKER, L. G. A Institucionalização da Teoria Institucional. In: CLEGG. S. HARDY, C.; NORD, W. (Org.). CALDAS, M.; FACHIN, R.; FICHER, T. (Org. brasileiros). Handbook de Estudos Organizacionais: Modelos de Análises e Novas Questões em Estudos Organizacionais. São Paulo: Atlas, 1999.

TRIBUNAL DE CONTAS DA UNIÃO - TCU. Sobre a Prestação e Tomada de Contas ao TCU. Disponível em: http://portal.tcu.gov.br/contas/contas-e-relatorios-de-gestao/ Acesso em: 08 set. 2017.

TURNER, S. F.; CACCIATORI, E. The Multiplicity of Habit: Implications for Routines Research. In GRENVILLE, J. H.; RERUP, C.; LANGLY. A.; TSOUKAS, H. Organizational Routines. Oxford: Oxford University Press, 2016.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO - UFPE. Controladoria. 2016. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2016.

_____________. Relatório de Gestão do Exercício de 2015. Disponível em: . Acesso em: 18 jul. 2016.

WEICK, K.E. The Social Psychology of Organizing. Menlo Park, CA: Addison-Wesley, 1969.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Apoio institucional:
Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Avenida dos Economistas, s/n - Cidade Universitária
CEP 50670-901 - Recife - Pernambuco - Brasil
Tel/fax. 55-(81) 21268874

 

Indexadores

 

BASE Logo