REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL DE ATIVOS: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DAS EMPRESAS DO NOVO MERCADO SOB AS EXIGÊNCIAS DO CPC 01

Sara Lima Marinho, Lísia de Melo Queiroz, Nilton Cesar Lima

Resumo


Este artigo tem por objetivo verificar se as empresas, inseridas no segmento Novo Mercado na B3, estão seguindo os quesitos pré-estabelecidos pelo CPC 01 (R1) que diz respeito a Redução ao valor recuperável de ativos. Refere-se ao impairment test, este teste objetiva assegurar que os ativos não estejam registrados por valores maiores do que efetivamente podem ser recuperados, a chamada recuperabilidade econômica. O presente trabalho utilizou o estudo de Albani e Almeida (2012), como principal ferramenta dentre a literatura já existente, por ser desenvolvido sob a realidade do Brasil e ser abrangente. Utilizou-se os critérios por eles expostos, para que se pudessem ter parâmetros comparativos. Foram analisadas 128 demonstrações financeiras anuais do ano de 2011 e 130 demonstrações do ano de 2012. Deste total, 110 empresas em 2011 divulgaram a realização do teste de impairment, e 116 empresas em 2012 declararam realizar o teste de recuperabilidade econômica. Os resultados demonstraram que não houveram mudanças significativas entre os 3 anos 2010, 2011 e 2012, em relação ao cumprimento das diretrizes estabelecidas pelo CPC 01 (R1). Constatou-se que, a maioria das empresas dizem realizar o teste de impairment, contudo não divulgam a metodologia trabalhada para realizar os mesmos, além das informações serem pouco claras e objetivas, o que dificulta a compreensão dos usuários de tais informações. O artigo contribui com a literatura já existente verificando se as companhias estão realizando e divulgando as informações exigidas pelo CPC 01, além de contribuir com os órgãos que normatizam e fiscalizam tais normas.


Palavras-chave


Teste de impairment; CPC 01; Novo Mercado.

Texto completo:

Artigo

Referências


ALBANI, P.C.; ALMEIDA, J.E.F. Teste de Impairment de Ativos: Análise Comparativa da Evidenciação das Companhias Abertas Listadas no Novo Mercado por Setor da Economia e Auditorias. Iniciação cientifica em contabilidade. Universidade de São Paulo. 2012. Congresso USP de Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo.

BORBA, J. A.; ZANDONAI, F. O que dizem os achados das pesquisas empíricas sobre o teste de impairment: uma análise dos journals em língua inglesa. 5º Congresso USP Iniciação Científica em Contabilidade, São Paulo. 2009. Disponível em: . Acesso em: 23 de maio de 2016.

B3 (Brasil, Bolsa, Balcão: Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo, e Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos). Novo Mercado. 2013. Disponível em: . Acesso em: 12 de abril de 2016.

CARVALHO, L.N.G.D.; COSTA, P.D.S.; OLIVEIRA, A.T.D. Impairment no setor público: particularidades das normas nacionais e internacionais. Revista de Administração Pública, vol. 44 (4), pp. 839-876, 2010.

CARDOSO, R.L.; SARAVIA, E.; TENÓRIO F.G.; SILVA, M.A. Regulação da contabilidade: teorias e análise da convergência dos padrões contábeis brasileiros aos IFRS. Revista de Administração Pública RAP, Rio de Janeiro 43 (4), pp. 773-799, 2009.

CÔMITE DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS (CPC). Pronunciamento Técnico CPC 01 (R1). 2010. Dispõe sobre a Redução ao Valor Recuperável de Ativos, aprovado pela Deliberação CVM nº 639/10. Disponível em: . Acesso em: 27 de abril, 2016.

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS (CVM). Deliberação n°639/10, de 07 de outubro de 2010. Aprova o pronunciamento técnico CPC 01 sobre redução ao valor recuperável dos ativos. Recuperado em 05 junho, 2013, de http://www.cvm.gov.br

FERRAREZI, M.A.D. O.; SMITH, M.S.J. Impairment - Conceitos iniciais e seu impacto pelo valor de mercado: estudo de caso de uma sociedade Ltda. da Cidade de Franca. In: IX Encontro de Pesquisadores e II Fórum de Estudos Multidisciplinares, Franca. 2008. IX Encontro de Pesquisadores e II Fórum de Estudos Multidisciplinares. Franca: FACEF.

IUDÍCIBUS, S. de; et al. Manual de contabilidade societária. São Paulo: Atlas, 2010.

IUDÍCIBUS, S. de. Contabilidade: entre umas e outras. Revista de Informação Contábil, 1, (1), pp. 01-06, 2007.

IUDÍCIBUS, S. de. Teoria da Contabilidade. 6ª ed. São Paulo: Atlas, 2000.

LIMA, F.P.; SILVA, V.P.; SILVA, M.R.; OLIVEIRA, R. R. Redução ao Valor Recuperável dos Ativos: Análise do CPC 01 nas empresas de capital aberto divulgadas pela Revista Exame 2011, IX SEGET, 2012.

LOPES, A. B.; et al. Estudando Teoria da Contabilidade. São Paulo, 2009.

MARTINS, E.; SANTOS, A. dos. Alguns pontos da Lei 11.638 e a internacionalização da contabilidade brasileira. IBEF News, Säo Paulo, 117, pp. 29-30, 2008.

MASSOUDI, D. A European Compliance Study of International Accounting Standard 36 Impairment of Assets. The University of Western Australia, Agosto de 2008.

NIYAMA, J.K. Contabilidade Internacional. 1ª ed. São Paulo: Atlas, 2005.

SOUZA, M.M.D.; BORBA, J.A.; ZANDONAI, F. Evidenciação da Perda no Valor Recuperável de Ativos nas Demonstrações Contábeis: uma Verificação nas Empresas de Capital Aberto Brasileiras. Revista Contabilidade Vista & Revista, 22 (2), pp. 67-91, 2011.

TAVARES, M.F.N.; FILHO, J.F.R.; LOPES, J.E.D.G.; VASCONCELOS, M.T.C.; PEDERNEIRAS, M.M.M. Um Estudo Sobre o Nível de Conformidade dos Setores Classificados pela Bovespa com o CPC 01 – Redução ao Valor Recuperável de Ativos. Sociedade, Contabilidade e Gestão, Rio de Janeiro, 5 (1), pp. 79-95, 2010.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

-----------------------------------------------------------------------------------
Apoio institucional:
Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Avenida dos Economistas, s/n - Cidade Universitária
CEP 50670-901 - Recife - Pernambuco - Brasil
Tel/fax. 55-(81) 21268874

 

Indexadores

 

BASE Logo