O Empreendedorismo no Seio das Ciências Contábeis: Análise da Discussão Sobre Empreendedorismo no Congresso USP de Contabilidade

Silvia Cristina Neves Cavalcanti, Prof. Marcia Athayde Moreira, Polyana Batista Silva

Resumo


Tendo em vista a importância do contador, como o profissional que acompanha o empreendedor desde as primeiras ideias, a abertura e a formalização do seu empreendimento, estando próximo durante toda a operação do negócio e se configurar em um dos mais importantes aconselhadores dos empreendedores, a presente pesquisa tem como objetivo realizar uma análise bibliométrica nos Anais dos Congressos USP de Contabilidade, desde sua primeira edição no ano de 2001 até o ano de 2017, a fim de conhecer os principais temas que vêm relacionando a contabilidade ao empreendedorismo, tendo como foco compreender como a contabilidade vem discutindo e colaborando para o empreendedorismo e o desenvolvimento empreendedor no Brasil. Metodologicamente trata-se de uma bibliometria, com análise quali-quantitativa. Dos 1.663 trabalhos apresentados no Congresso USP de Contabilidade, nove trabalhos relacionaram a contabilidade e o empreendedorismo. Sob o ponto de vista quantitativo os dados apresentaram 31 autores no total, com média aproximada de 3,5 autores por trabalho, de 12 instituições de pesquisa diferentes de todo o Brasil. Sob o ponto de vista qualitativo, observou-se temas diversos: planejamento e a organização empresarial para a tomada de decisão, tributação e planejamento tributário para micro e pequenas empresas, compreensão e uso da informação contábil para a tomada de decisão. Conclui-se que o uso das técnicas bibliométricas foram adequadas para evidenciar a necessidade de se aumentar as discussões sobre a contabilidade no seu papel de auxílio aos empreendedores brasileiros, contribuindo assim para a geração de emprego e renda no Brasil.

Palavras-chave


Contabilidade empreendedora; Empreendedorismo; Bibliometria; Congresso USP de Contabilidade.

Texto completo:

Artigo

Referências


Albanaz, F.; Matitz, Q. R. S. (2016). Uso do conceito oportunidade em livros nacionais de empreendedorismo à luz da literatura científica da área. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 5(2).

Almeida, F. S., & Favarin, A. M. (2007). Sistemas de Informações Gerenciais–o ambiente empresarial e o perfil do profissional de contabilidade. In Congresso USP de Contabilidade e Controladoria (Vol. 7).

Araújo, R. F.; Alvarenga, L. (2011). A bibliometria na pesquisa científica da pós-graduação brasileira de 1987 a 2007. Encontros Bibli: revista eletrônica de biblioteconomia e ciência da informação, Florianópolis, 16(31), p. 51-70. Recuperado de: https://periodicos.ufsc.br/index.php/eb/article/view/1518-2924.2011v16n31p51.

Barreto, O. Filho. (1988). Teoria do estabelecimento comercial. (2a ed.). São Paulo: Saraiva.

Barros, A. A.; Pereira, C.M.M.A.(2008). Empreendedorismo e crescimento econômico: uma análise empírica. RAC-Revista de Administração Contemporânea, 12(4).

Bernard, L.A. (2007). Manual de empreendedorismo e gestão: fundamentos, estratégia e dinâmicas. (2a ed.). São Paulo: Atlas.

Blackburn, R., Carey P., Tanewski, G. (2018). Business advice by accountants to SMEs: relationships and trust, Qualitative Research in Accounting & Management, v. 15 (3), 358-384, DOI:10.1108/QRAM-04-2017-0022.

Carey, P. J. (2015). External accountants’ business advice and SME performance, Pacific Accounting Review, v. 27 (2), 166-188. DOI:10.1108/PAR-04-2013-0020.

Carey, P. Tanewski, G. (2016). The provision of business advice to SMEs by external accountants. Managerial Auditing Journal, v. 31 (3), 290-313. DOI:10.1108/MAJ-12-2014-1131.

Cherry, M. (2018). Accounting for Trust: A Conceptual Model for the Determinants of Trust in the Australian Public Accountant – SME Client Relationship, Australasian Accounting, Business and Finance Journal, 10(2), 2016, 3. DOI:10.14453/aabfj.v10i2.2.

Cherry, M., McGrath, D., Baumann, Chris. (2018). Client Intimacy & Performance Advice: Determinants of Trust in the Public Accountant - SME Client Relationship, Australasian Accounting, Business and Finance Journal, 12(1), 3-32, DOI:10.14453/aabfj.v12i1.2.

De Luca, M.M.M., Teixeira Filho, M. C., & Corrêa, D. M. M. C. A elisão tributária aplicada às micro e pequenas empresas. In: Congresso Usp de Controladoria e Contabilidade (Vol. 6).

Dornelas, J.C.A. (2001). Empreendedorismo: transformando ideias em negócios. Rio de Janeiro: Ed. Campus.

Dornelas, J.C.A. (2008). Empreendedorismo corporativo: como ser empreendedor, inovar e se diferenciar na sua empresa. (2a ed.) Rio de Janeiro: Ed. Elsevier.

Filion, L.J. (1999). Empreendedorismo: empreendedores e proprietários-gerentes de pequenos negócios. RAUSP – Revista de Administração da Universidade de São Paulo. São Paulo, SP.

Grunow, A., Sabadin, A. L., Fassina, P. H., & Domingues, M. D. S. (2005). Análise do perfil dos gestores do curso de Ciências Contábeis das IES-Instituições de Ensino Superior do estado de Santa Catarina. In: Congresso Usp de Controladoria e Contabilidade (Vol. 5).

Kós, S.R, Espejo, M. M.S.B, Raifur, L., & Anjos, R.P. (2014). In Congresso USP de Contabilidade e Controladoria (Vol. 11).

Kós, S.R.; Espejo, M.M.S.B.; Raifur, L. Anjos, R.P. (2014). Compreensão e utilização da informação contábil pelos micro e pequenos empreendedores em seu processo de gestão. Enfoque: Reflexão Contábil, 33(3).

Lenzi, F.C.; Kiesel, M.D. (2009). Empreendedor de Visão. São Paulo: Atlas.

Maciel, A. M., Vicentim, A. M., Vicentim, C. R., & Marino Jr, J. (2007). Planejamento tributário para micro e pequenas empresas. 2º Seminário USP de contabilidade. São Paulo: FEA/USP.

Martins, C.; Fiates, G.G.S.; Dutra, A.; Leite, A.LS.; Giarola, P. (2014)Empreendedorismo inovador gerado pelas incubadoras de base tecnológica: mapeamento da produção científica até 2013. Revista de Negócios, 19(2), p. 86-108.

Matias, M.A.(2010). Relação entre características empreendedoras e múltiplas inteligências: um estudo com contadores de Minas Gerais. (Tese de Doutorado. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

Matias, M.A.; Colares, A.C.V.; Rocha, P.M.; Carvalho, L.E.Jr. (2013). O ensino de empreendedorismo nos cursos de graduação em ciências contábeis. Revista Catarinense da Ciência Contábil, 12(35), p. 63-78.

Matias, M.A.; Martins, G.A. (2012). Educação Empreendedora em Contabilidade. Revista Brasileira de Contabilidade, 193, p. 40-53.

Moreira, H.S.A.; Moreira, M.A.; Silva, W.A.C. (2014). Dez anos de pesquisa em empreendedorismo apresentados nos Enanpads de 2003 a 2012: análise dos autores engajados na área. REGEPE-Revista de Empreendedorismo e Gestão de Pequenas Empresas, 3(1), p. 33-55. Recuperado de: http://regepe.org.br/regepe/article/view/65.

Peleias, I.R., Lourenço, R.A., Peters, M.R.S., & Lavarda, C.E.F. Empresários Contábeis da Grande São Paulo: Atributos Importantes no Desempenho da Profissão. In Congresso USP de Controladoria e Contabilidade (Vol. 14).

Pereira, K.R.; Matias, M.A.(2010). Características empreendedoras em contadores-empresários. Revista Mineira de Contabilidade, 1(37), p. 22-30.

Reynolds, P.; Miller, B. New firm gestation: conception, birth, and implications for research. Journal of Business Venturing, 7(5), p. 405-417.

Rower, G. R., Bordignon, A. C., & Kruger, S. D. (2012). Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas: uma análise das práticas adotadas pelos profissionais contábeis. In Congresso USP de Controladoria e Contabilidade (Vol. 12).

Santos, L.C.B; Vasconcelos, F.N.P.; Colares, A.C.V.; Moreira, M.A.(2015). Profissionais da contabilidade engajados no auxílio gerencial às micros e pequenas empresas brasileiras. Revista Brasileira de Contabilidade, 210, p. 56-69. Recuperado de: http://rbc.cfc.org.br/index.php/rbc/article/view/1216

Schumpeter, J.A (1947). The creative response in economic history. Journal of Economic History, p. 149-159.

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (2014). Recuperado de: http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/ufs/mt/noticias/micro-e-pequenas-empresas-geram-27-do-pib-do-brasil,ad0fc70646467410VgnVCM2000003c74010aRCRD.

SEBRAE, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (2016). Recuperado de: http://www.bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/a7dd7d5bcef3f0092cd9f9eac9297ae1/$File/4171-dublin.pdf.

SEGURA, L. C., SAKATA, M. C. G., & RICCIO, E. L. (2003). Planejamento estratégico e diferenciação em empresas de pequeno porte. 2º Seminário USP de contabilidade. São Paulo: FEA/USP.

Sergio, R. S. G., Gomes, C. A. S., Rodrigues, C., & Boaventura, R. (2004). Estratégias Competitivas para as Pequenas e Micro Empresas: Um Estudo de Caso. In 4º Congresso USP–Controladoria e Contabilidade.

Silva, H.C.H.; Casarotto, E.L.; Benini, E.G.; Binotto, E.(2018). Bibliometria em Estudos Organizacionais: O Perfil das Produções em Ecologia das Organizações. Gestão e Sociedade, 12(31), p. 2042-2066.

Souza, R.M.F.; Baia, M.W.M.; Costa, I.C.M.; Machado, R.S.; Mendes,A.L.B.; Souto, M.V. (2017). Análise Bibliométrica dos Artigos Científicos em Finanças Publicados na Revista de Administração de Empresas (RAE) da FGV/SP, no Período de 2006 a 2016. Administração: Ensino e Pesquisa, 18(3), p. 489-517.

Tachizawa, T.; Faria, M.S. (2004). Criação de novos negócios: gestão de micro e pequenas empresas. (2a ed.) Rio de Janeiro: Ed. da FGV.

Zen, A.C.; Fracasso, E.M. (2008). Quem é o empreendedor? As implicações de três revoluções tecnológicas na construção do termo empreendedor. RAM. Revista de Administração Mackenzie, 9(8).


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

-----------------------------------------------------------------------------------
Apoio institucional:
Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Avenida dos Economistas, s/n - Cidade Universitária
CEP 50670-901 - Recife - Pernambuco - Brasil
Tel/fax. 55-(81) 21268874

 

Indexadores

 

BASE Logo