FATORES QUE DETERMINAM A EXISTÊNCIA DE POLÍTICAS DE GESTÃO DO CAPITAL DE GIRO EM PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS

Marcio Andre Veras Machado, Márcia Reis Machado, Otávio Ribeiro Medeiros

Resumo


Esta pesquisa, exploratória e descritiva, teve por objetivo analisar os fatores que determinam a existência de políticas de gestão financeira de curto prazo em pequenas e médias empresas. A pesquisa envolveu um estudo empírico com 37 empresas, pertencentes a 12 setores da economia. Analisou-se se há uma relação logística entre a empresa possuir uma política, formal ou informal, de gestão do capital de giro e as variáveis porte, tempo dedicado às atividades inerentes à gestão do capital de giro, tempo de atuação no mercado, experiência na área por parte dos gestores, natureza jurídica e nível superior. De acordo com os resultados obtidos, conclui-se que as variáveis tempo dedicado à gestão do capital de giro, tempo de atuação no mercado e experiência dos gestores na área não constituem fatores explicativos da existência de políticas de capital de giro. Evidências mostram que empresas com maior faturamento, que possuem gestores com curso superior e que são constituídas sob a forma de sociedade anônima têm maior probabilidade de adotar uma política, formal ou informal, de gestão do capital de giro. Suspeita-se, portanto, que a ausência de uma política de capital de giro seja a principal causa dos altos índices de mortalidade das pequenas empresas, apontados na pesquisa realizada pelo Sebrae.

Palavras-chave


Capital de Giro; Pequenas e Médias Empresas; Regressão Logística.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
Apoio institucional:
Programa de Pós-Graduação em Ciências Contábeis (PPGCC)
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Avenida dos Economistas, s/n - Cidade Universitária
CEP 50670-901 - Recife - Pernambuco - Brasil
Tel/fax. 55-(81) 21268874

 

Indexadores

 

BASE Logo