Aya-Sankofa Group of decolonial and afrocentrated studies in mathematical education: initial trajectories

Edson Carlos Sobral de Sousa, Félix João da Silva Júnior, José Ivanildo Felisberto de Carvalho, João Victor da Silva Gabriel, Kaio Vinicius Silva, Maria Gabriela Costa da Silva, Maria Jacqueline da Silva, Thays Lima Oliveira

Resumo


O Grupo Aya-Sankofa de Estudos Decoloniais e Afrocentrados em Educação Matemática é um grupo de pesquisa constituído no âmbito do programa de Pós-graduação em Educação em Ciências e Matemática da Universidade Federal de Pernambuco – Campus do Agreste. Neste texto discutimos o marco teórico que sustenta os estudos do grupo e descrevemos as trajetórias iniciais. Optamos por provocar um olhar dentro de uma perspectiva decolonial e de valorização de saberes subalternizados relacionados com o ensino e aprendizagem da matemática e com a formação de professores.

Palavras-chave: Estudos Decoloniais, Afrocentricidade, Matemática, Educação Matemática, Formação de Professores.

Texto completo:

PDF

Referências


Asante, M. K. (2015). Raça na antiguidade: na verdade, provém da áfrica. Revista de Humanidades e Letras, v.1, n. 3, p. 113.

Asante, M. K. (1988). Afrocentricity. Trenton: Africa Wordl Press.

Asante, M. K. (2009). Afrocentricidade: notas sobre uma posição disciplinar. In: NASCIMENTO, Elisa Larkin. Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. Tradução Carlos Alberto Medeiros. São Paulo: Selo Negro, p.93-110.

Cunha, L. (2015). Contribuição dos povos africanos para o conhecimento científico e tecnológico universal. Governo da Bahia – Salvador: Educação.

D`Ambrósio, U. (2005). Sociedade, cultura, matemática e seu ensino. Educação e

Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 1, p. 99-120, jan./abr.

D`Ambrósio, U. (2008). O Programa Etnomatemática: uma síntese. Acta Scientiae, v.10, n.1.

Fernandes, C. M., Lima, N. N. de., Araújo, S. L. de., Lima, M. I. G. (2017). Etnomatemática: um novo olhar sobre o ensino matemático. Anais do IV Conedu, João Pessoa.

Forde, G. H. A. (2017). O que professores calam e dizem sobre a presença africana no ensino de matemática?. Revista da ABPN, v. 9, n. 22, p.251-272.

Giraldo, V. Que matemática para a formação de professores? Por uma matemática problematizada. In: Anais do XIII Encontro Nacional de Educação Matemática, 2019 (no prelo).

Giraldo, V., Fernandes, F. Matos, D. e Quintaneiro, W. (2019). Formação de professores para ensinar matemática em uma perspectiva decolonial. Anais do VII SHIAM – Seminário Nacional de Histórias e Investigações de/em aulas de matemática. Unicamp – Campinas, SP.

Lima, C. S. de., Reis, M. da C. dos., Silva, D. J. da., (2018). Afrocentricidade e Educação: um legado epistêmico para as pesquisas educacionais. Revista Semana Pedagógica, v. 1, n. 1.

Lucas, L. M., Cordeiro Moita, F. M. G. da S. (2017). A prática docente orientada pela etnomatemática. Anais do IV Conedu, João Pessoa.

Madhubuti, H. (1990). Educação Afrocentrada: Seu valor, importância e necessidade no desenvolvimento de crianças negras. Journal of Education, Boston University, v. 172, n. 2.

Maldonado-Torres, N. (2019). Analítica da colonialidade e da decolonialidade: algumas dimensões básicas. Em: Decolonialidade e Pensamento Afrodiaspórico - Joaze Bernardino-Costa, Nalson Maldonado-Torres e Ramón Grosfoguel (orgs). Editora Autêntica, 2ª Edição.

Nascimento, E. L. (2009). Afrocentricidade: uma abordagem epistemológica inovadora. Selo Negro, São Paulo.

Rosa, M., Orey, D. C. (2017). Influências etnomatemáticas em salas de aula: caminhando para a ação pedagógica. Appris, 1. ed.

Santos Júnior, R. N. dos. (2010). Afrocentricidade e educação: os princípios gerais para um currículo afrocentrado. Revista África e Africanidades, ano 3, n. 11.

Santos, M. F. dos., Souza, M. M. (2018). Pedagogia ou Pretagogia? Movimentos de sentidos no discurso pedagógico em um curso de licenciatura em Matemática. Revista Espaço Acadêmico,v. 18, n. 207, p.16-28.

Silva, G. R., Farias, L. M. S., Silva, R. C. M. (2017). Desconstruindo elementos de um modelo epistemológico dominante no ensino de matemática: em busca de um modelo de referencia fundamentado nas contribuições das populações diaspóricas e na lei 10639/2003. Revista da ABPN, v. 9, n. 22, p.176-190.

Vieira, N., D´ambrosio, U. (2014). Do curriculum trivium ao conhecimento trivium: um estudo do desenvolvimento do conhecimento trivium nos professores de matemática. REMATEC. Revista de Matemática, Ensino e Cultura (UFRN), v. 9, p. 87-106.