Como os softwares são fabricados: um olhar ergolinguístico

Aguinaldo Gomes de Souza

Resumo


Resumo: O presente trabalho tem por objetivo descrever, a luz da ergolinguística, o modo de fabricação do software. Parte-se do pressuposto de que, ao desenvolver um software, o sujeito desenvolvedor deixa nele formas marcadas e não marcadas de sua presença.  Nesse sentido, o trabalho em uma fábrica de software é sempre de interação e co-construção de ações. Assim, na descrição do processo de fabricação de um artefato tecnológico percebe-se as relações dialógicas que o atravessam, desde o processo de fabricação até o processo de uso.

Palavras-chave: Software, interface, dialogismo.

 

Abstract: This article aims to describe, according to an ergolinguistics perspective, the way software are produced. We assume that when an individual develops a software he/she leaves marked (and unmarked) forms of his/her presence. Thus, working in a software development enterprise is always interaction and co-building action. Hence, when we describe a technological artifact building process, we realize dialogic relations going through it, from the development process to the using process.

Keywords: Software, interface, dialogic.


Texto completo:

PDF

Referências


BAKHTIN, M. Estética da criação verbal. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

BARBOSA, S.D.J.; de Souza, C.S.; Paula, M.G. The Semiotic Engineering Use of Models for Supporting Reflection-in-Action. In: HCII2003 - HCI International, Creta. Human-Computer Interaction: Theory and Practice (Part I). Mawah, NJ : Lawrence Erlbaum, 2003.

BRAUDE, Eric. Projeto de software: da programação à arquitetura: uma abordagem baseada em Java. Porto Alegre: Bookman, 2005

BROOKSHEAR, J.Glenn. Ciência da Computação: Uma visão abrangente. 5ª Edição. Porto Alegre: Bookman Companhia Editora, 2001

CLOT, Y. La fonction psychologique du travail. Paris: PUF. 1999

FAÏTA, D. Análise das práticas linguageiras e situações de trabalho: uma renovação metodológica imposta pelo objeto. In: SOUZA-ESILVA, M. C.; FAÏTA, D. (orgs.). Linguagem e trabalho: construção de objetos de análise no Brasil e na França. Trad. Ines Polegatto e Décio Rocha. São Paulo: Cortez. 2002

FRANÇA, Fábio; FREITAS, Sidinéia Gomes. Manual da qualidade em projetos de comunicação. São Paulo: Pioneira, 2002.

FLOYD, THOMAS. Sistemas Digitais: fundamentos e aplicações 9 ed. Bookman. Porto Alegre, 2007

LACOSTE, M. Fala, atividade, situação. In: DUARTE, F.; FEITOSA, V. (orgs.). Linguagem e trabalho. Rio de Janeiro: Lucerna, p. 15-36. 1998

Revista Eutomia –Ano 3 – Edição 1 – Julho 2010 – Destaques Página 14

MAIBAUM, Tom. Fundamental approaches to software Engineering. Third International Coference, FASE 2000 held as part of the joint European Coferences on theory and practice of software, Berlin, Germany, March/Apri 2000

MEIRA, Luciano; Peres, Flavia (2004): A dialogue-based approach for evaluating educational software. In Interacting with Computers, 16 (4) pp. 615-633

NOUROUDINE, A. 2002. A linguagem: dispositivo revelador da complexidade do trabalho. In: SOUZAESILVA, M. C.; FAÏTA, D. (orgs.). Linguagem e trabalho: construção de objetos de análise no Brasil e na França . Trad. Ines Polegatto e Décio Rocha. São Paulo: Cortez.

PERES, Flávia. Diálogo e autoria: do desenvolvimento ao uso de sistemas de informação. 204 f, Tese de Doutorado, Departamento de Psicologia, Curso de Pósgraduação em Psicologia Cognitiva, Universidade Federal de Pernambuco. 2007

PONTES, A.M.; Leitão, C.F.; Barbosa, S.D.J.; de Souza, C.S.; Quental, V.S.T.D.B. Estudo do impacto do design e das formas de uso sobre a recuperação de informações em fóruns de discussão online. In: VI Simpósio sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais - IHC 2004, 2004, Curitiba. VI Simpósio sobre Fatores Humanos em Sistemas Computacionais - IHC 2004: Mediando e Transformando o Cotidiano - Anais do Simpósio. Porto Alegre : SBC, 2004

PONTES, A.M.; Barbosa, S.D.J.; de Souza, C.S Organização Conversacional: Inspeção das Representações na WikiPedia. In: CLIHC2005 - Latin American Conference in Human-Computer Interaction, Cuernavaca, Mexico. Proceedings of CLIHC, 2005.

REZENDE, Denis Alcides. Engenharia de software e sistemas de informação 3.ed. Rio de Janeiro: Brasport, 2005

SAMPAIO, M.C.H. A Ergologia e os Estudos da Linguagem e das Práticas Linguageiras em Situações de trabalho. Recife, Arte Comunicação, n. 8, p.149-167. 2003

SANTOS, M. Análise psicológica do trabalho: dos conceitos aos métodos. Laboreal, 2, (1), 34-41. 2006. Disponível em: http://laboreal.up.pt/revista/artigo.php?id=37t45nSU54711226516545:581

SOUZA, A.G. Software, hipermídia, hipertexto e gêneros digitais: observações preliminares. Encontro internacional de texto e cultura – anais – página 42-55. CD-ROM ISSN: 2176-199X. Protexto - UFC, Fortaleza, Ceará 2009.

SCHWARTZ, Yves Trabalho e uso de si. In: Pró-Posições. Campinas, Vol,11 n.2 (32), p.34-50. Tradução de Maria Lúcia da Rocha Leão, Revisão Técnica de Maria Inês Rosa, UNICAMP. 2000

TAYLOR, Frederick Winslow. Princípios de Administração Científica. Tradução de Arlindo Vieira Ramos. Editora Atlas, São Paulo. 1976




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i05p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional