A expressão de Modalidades Típicas do Subjuntivo no Português do Século XVI: ... investigando o passado para compreender o presente

Rosana Ferreira Alves

Resumo


Resumo: Neste trabalho descreve-se a expressão de modalidades típicas do subjuntivo em sentenças completivas, adverbiais e relativas de documento do português da segunda metade do século XVI. Para isso, apóia-se na Sociolingüística Quantitativa (LABOV, 1972). Tendo como base Alves (2006, 2007, 2008, 2009), propõe-se que o fenômeno variável expressão de modalidades típicas do subjuntivo esteja ocorrendo mediante a realização de três variantes lingüísticas, a saber: formas do subjuntivo, formas do indicativo e estruturas alternativas (sentenças com verbo no infinitivo, no gerúndio, nominalizadas, etc).

Palavras chaves: Variação lingüística; Português do século XVI; Modalidade verbal.

 

Résumé: Dans ce travail on décrit l’expression de modalités typiques du subjonctif dans les sentences complétives, circonstancielles et relatives de document du Portugais de la seconde moitié de XVIeme siècle. Pour cela, il se base dans la Sociolingüistique Quantitative (LABOV, 1972). Ayant comme base Alves (2006, 2007, 2008, 2009), on propose que le phénomène variable expression de modalités typiques du subjonctif  se produise à travers la réalisation de trois variantes lingüistiques, à savoir: des formes du subjonctif, des formes de l’indicatif et des structures alternatives (des sentences avec verbe à l’infinitif, au présent progressif, nominalisées, etc).

Mots clés: Variation lingüistique ; Portugais du XVIeme siècle ; Modalité verbale.


Texto completo:

PDF

Referências


ALKMIM, Tânia Maria. Para a história do português. Volume III: novos estudos. Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2002.

ALVES, Rosana F. Sobre o caráter de variante de estruturas alternativas à expressão de modalidades típicas do subjuntivo no português contemporâneo. Anais do VI Congresso Internacional da ABRALIN, João Pessoa- PB. Artigo publicado em CD com ISBN: 978-85-7539-446-5. Dermeval da Hora (Orgs.), Idéia, 2009, p. 2477-2485.

______. A expressão de modalidades típicas do subjuntivo no português do Brasil. Projeto de Doutorado apresentado à FAPESB, 2007.

______. A expressão de modalidades “típicas” do subjuntivo no português do Brasil. Comunicação apresentada no GEL / 2006.

ALVES NETA, Ana. O uso de formas do indicativo por formas do subjuntivo no português brasileiro. Dissertação de Mestrado, UFMG, Belo Horizonte, 2000.

BAXTER, Alan N. Morfossintaxe. Em Perl, Matthias & Schwegler, Armin. (orgs.). América negra: panorámica actual de los estudios lingüísticos sobre variedades hispanas, portuguesas y criollas. Frankfurt am Main: Vervuert, 1998, p. 97-134.

BIANCHET, S. M. G. B. Indicativo e/ou Subjuntivo em Orações Completivas Objetivas Diretas do Português: uma volta ao latim. Dissertação de Mestrado, UFMG, Belo Horizonte, 1996.

CAVALCANTE, Sílvia. R. O uso de SE com infinitivo na História do Português: Do Português Clássico ao Português Europeu e Brasileiro Modernos. Tese de Doutorado, Campinas, SP, 2006.

CÂMARA JR, J. M. Estrutura da Língua Portuguesa. 36 edição, Petrópolis: Vozes, 2004.

CUNHA, C. & CINTRA, L. F. Nova Gramática do Português Contemporâneo. 3 edição, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

FÁVERO, L. L. O modo Verbal da Oração Completiva. In: Revista Brasileira de Lingüística. Vol. 6, nº 1. São Paulo: Livraria das Cidades, 1982.

GANDAVO, Pero Magalhães de (1556): História da Província de Santa Cruz. Edição Eletrônica: http://www.ime.usp.br/ ~tycho/corpus/textsxml/g008.xml

KOCH, I. G. V. Inter-ação pela linguagem. 8ª edição, São Paulo, Contexto, 2003.

LABOV, William: Sociolinguistic Patterns. Philadelphia: University of Pennsylvania, Press, Philadelphia, 1972.

MATEUS, Maria Helena et. Alii. Gramática da Língua Portuguesa. Coimbra, Almedina, 1983.

MATTOS E SILVA. Para a história do português culto e popular brasileiro: sugestões para uma pauta de pesquisa. IN ALKMIM, Tânia Maria. Para a história do português. Volume III: novos estudos. Universidade de São Paulo, Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, 2002.

MAURER Jr. Theodoro Henrique. A unidade da România Ocidental. São Paulo, 1951.

______. Theodoro Henrique. Gramática do Latim Vulgar. Rio de Janeiro: Livraria Acadêmica, 1959.

MEIRA, Vívian. O uso do subjuntivo em orações relativas e completivas no português afro-brasileiro. Dissertação de Mestrado, UFBA, Salvador, 2006.

NARO & SCHERRE. Sobre as origens do português popular do Brasil . D.E.L.T.A., Vol. 9 Nº Especial (437-454), 1993.

NEVES, Maria Helena de Moura et. Ali. A Modalidade. In: KOCK, Ingdore G. V. (org.). Gramática do Português Falado. Volume VI: Desenvolvimentos, 2ª edição, Editora Unicamp, PP. 171-208, 2002. P

AIXÃO DE SOUSA, Maria Clara. Língua Barroca: Sintaxe e História do português nos 1600. Tese de Doutorado, Unicamp, Campinas, 2004.

PERINI, M. A.: A Gramática Descritiva do Português. São Paulo: Ática, 1995.

ROBINSON, J. S.; LAWRENCE, Helen. & TAGLIAMONTE, Sali. GoldVarb 2001: amultivariate analysis for Windows. New York: University of York (Department of Language and Linguistic Science), 2001.

SANTOS, Sandra A. da Silva. Uso versus não-uso do subjuntivo no português brasileiro: orações substantivas e adverbiais. Dissertação de mestrado, Universidade Estadual de Londrina, 1998.

SILVA NETO, Sarafim da. Introdução ao estudo da língua portuguesa. Rio de Janeiro. Instituto Nacional do Livro, 1950.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i03p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional