Implicações das práticas discursivas sobre inclusão digital na constituição identitária do professor

Coraci Helena do Prado

Resumo


Resumo: Este estudo propõe uma discussão acerca dos efeitos das práticas discursivas sobre a inclusão digital na constituição identitária do professor. Assume-se aqui o ponto de vista, fundamentado na interface de teorias culturais e discursivas, de que os sujeitos e as identidades são construções sócio-históricas e culturais, que ocorrem por meio das práticas discursivas que inscrevem os sujeitos nas formações sociais. Diante disso, buscou-se analisar e contrapor, de um lado, discursos “deterministas” ou“tecnocêntricos”, e de outro lado, as teorias de letramento digital, que representam um deslocamento discursivo e um contraponto aos primeiros.

Palavras-chave: discurso, inclusão digital, constituição identitária

 

Abstract: This paper proposes a discussion about the effect of the discursive practices on the digital inclusion in the identitary constitution of teachers. We take as assumption for this study the point of view, grounded on the interface of cultural and discursive theories, that the subjects and identities are socio-historical and cultural constructions, which occur through the discursive practices that inscribe the subjects in the social formations. Therefore, we tried to analyze and counterpoint, on the one hand,“determinist” or “technocentric” discourses, and on the other hand, the theories of digital literacy, which represent a discursive displacement and a counterpoint to the first.

Key words: discourse, digital inclusion, identitary constitution


Texto completo:

PDF

Referências


BARTON, D.; HAMILTON, M; IVANIC, R. Situated literacies. London e New York: Routledge, 2000.

BARRETO, R. G. “Tecnologia e educação: trabalho e formação docente”. In: Educação & Sociedade. Campinas, vol. 25, n. 89, p. 1181-1201, Set./Dez. 2004.

Disponível online em http://www.cedes.unicamp.br. Acessado em 04/10/2007.

BRAGA, D. B. “A natureza do hipertexto e suas implicações para a liberdade do leitor e o controle do autor nas interações em ambiente hipermídia”. In: Revista Anpoll, n. 15, p.65-85, jul./dez. 2003.

______. “Letramento na internet: o que mudou e como tais mudanças podem afetar a linguagem, o ensino e o acesso social”. In: KLEIMAN, Angela B.; CAVALCANTI, Marilda C. (Org.). Lingüística aplicada: suas faces e interfaces. Campinas: Mercado de Letras, 2007, p. 181-198.

BRITO, P. Um tiro no escuro: as estratégias e incertezas da inclusão digital no Brasil. 2005 (Dissertação). Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Semiótica. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

BUZATO, M. E. K. Entre a Fronteira e a Periferia: linguagem e letramento na inclusão digital. Campinas, SP, 2007 (Tese). Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Estudos da Linguagem.

______. Letramentos Digitais e Formação de Professores. Disponível online em http://www.educarede.org.br/educa/img_conteudo/MarceloBuzato.pdf .

Acessado em 25/06/2007a.

CORACINI, M. J. R. F. “Pós-modernidade e novas tecnologias no discurso do professor de língua”. Alfa, São Paulo, 50 (1): 7-21, 2006. Disponível online em www.alfa.ibilce.unesp.br. Acessado em 05/06/07.

FERREIRA, D. M. M. “Espaço da localidade e da globalização: impacto e

subjetivação”. In: MAGALHÃES, I.; CORACINI, M. J.; GRIGOLETTO, M. (org.). Práticas identitárias: língua e discurso. São Carlos: Claraluz, 2006. p. 171-188.

FOUCAULT, M. A ordem do discurso. São Paulo: Loyola, 1996.

______. Arqueologia do saber. Trad. Luiz F. B Neves. 4 ed. São Paulo: Editora Forense Universitária, 1995.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. Tradução Tomaz Tadeu da Silva e Guaracira Lopes Louro. 10 ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005.

KLEIMAN, A. B. “Modelos de letramento e as práticas de alfabetização na escola”. In: KLEIMAN, A. B. (Org.) Os significados do letramento: uma nova perspectiva sobre a prática social da escrita. Campinas: Mercado de Letras, 1995.

MARCUSCHI, L. A. “O hipertexto como um novo espaço de escrita em sala de aula”. Linguagem & Ensino, vol. 4, n. 1, 2001, p. 79-111. Disponível online em

http://www6.ufrgs.br/limc/escritacoletiva/pdf. Acessado em 05/11/07.

MATTA, A. E. R. “Tecnologias para a colaboração”. In: Revista da FAEEBA – Educação e Contemporaneidade. Salvador, v. 13, n. 22, p. 431-439, jul./dez., 2004. Disponível online em http://www.revistadafaeeba.uneb.br. Acessado em 31/08/07.

MEY, J. L. “As vozes da sociedade: letramento, consciência e poder”. Tradução de Maria da Glória de Moraes. DELTA, São Paulo, vol. 14, n.2, 1998. Disponível online

em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci. Acessado em 25/10/2007.

PÊCHEUX, M. Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio. Trad. Eni P. Orlandi [et al.] 2 ed., Campinas, SP: Editora da UNICAMP, 1995.




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i02p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional