Repetição: uma estratégia de construção textual vivaz na oralidade

Rosalia Perrucci Fiorin

Resumo


Resumo: O presente artigo tem como proposta abordar uma das estratégias de formulação textual mais vivaz na oralidade, a Repetição. Com base nos estudos realizados por Marcuschi (1996, 2006), demonstraremos como a repetição atua nos variados aspectos da formulação textual-discursiva, valendo-nos do inquérito 283 do Projeto Nurc do Rio Grande do Sul. Diante das análises realizadas, aguça a nossa curiosidade observar que as reiterações lexicais, sintagmáticas e oracionais são estratégias cruciais para o processamento informacional e para a preservação da funcionalidade comunicativa.

Palavras-chave: oralidade, repetição, projeto NURC.

 

Abstract: This article proposes to explain one of the strategies of textual formulation most present in the conversation, the repetition. Based on the studies conducted by Marcuschi (1996, 2006), we intend to demonstrate how the repetition acts in various aspects of the textual construction, utilizing the inquiry number 283 of NURC Project of Rio Grande do Sul. By the analysis made, it becomes interesting to note how the words and clauses repeated are crucial to the information process as well as to the preservation of communicative functionality.

Keywords: conversation analysis, repetition, NURC Project


Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Diana Luz Pessoa. Efeitos de Oralidade no texto escrito. PRETI, Dino (Org.). Oralidade em diferentes discursos. São Paulo: Humanitas, 2006. p. 57 – 84.

HILGERT, José Gaston. A construção do texto “falado” por escrito: a conversação na Internet. In: PRETI, Dino (Org.). Fala e escrita em questão. São Paulo: Humanitas, 2000. p. 17 - 55.

______. O falante como observador de suas próprias palavras: retomando aspectos metadiscursivos na construção do texto falado. In: PRETI, Dino (Org.). Oralidade em diferentes discursos. São Paulo: Humanitas, 2006. p. 161 – 185.

______.Língua falada e enunciação. Calidoscópio (UNISINOS), v. 5, p. 69-76 mai/ago 2007.

KERBRAT-ORECCHIONI, Catherine. Análise da Conversação: princípios e

métodos. São Paulo: Parábola, 2006.

KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça. Especificidade do texto falado. In: JUBRAN, Clélia Cândida Abreu Spinardi; KOCH, Ingedore Grunfeld Villaça (Org.). Gramática do português falado no Brasil: construção do texto falado. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2006, v.1. p. 39 – 46.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. A repetição na língua falada como estratégia de formulação textual. In: KOCH, Ingedore G. Villaça (Org.). Gramática do português falado (Volume VI: Desenvolvimentos). Campinas, SP: Editora da Unicamp, 1996. p. 95 – 129.

______. Repetição. In: JUBRAN, Clélia Cândida A. Spinardi; KOCH, Ingedore G. Villaça (Org.). Gramática do português falado no Brasil: construção do texto falado. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2006, v.1. p. 219 – 254.

PROJETO NORMA LINGUÍSTICA URBANA CULTA. Disponível em:

<>. Acesso em: 29 set. 2008




DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i02p%25p

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




 

Qualis (CAPES): B1-LETRAS / LINGUÍSTICA; B1-EDUCAÇÃO; B1-FILOSOFIA/TEOLOGIA:subcomissão FILOSOFIA; B1-INTERDISCIPLINAR; B3-CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS; B3-HISTÓRIA; B3-PSICOLOGIA; B5-EDUCAÇÃO FÍSICA; B5-ODONTOLOGIA; B5-SERVIÇO SOCIAL; C-ARTES / MÚSICA

Diretórios:


Indexadores:

 

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

Institucional