REPRESENTAÇÕES DA FILOSOFIA DELEUZE-GUATTARIANA NO ROMANCE NELIDIANO

Roniê Rodrigues da Silva, Maria do Socorro Souza Silva

Resumo


Este artigo objetiva analisar a representação identitária das personagens protagonistas do romance Vozes do Deserto, da escritora contemporânea Nélida Piñon, num contraponto com algumas noções da filosofia de Gilles Deleuze e Félix Guattari, sobretudo aquelas relativas à imagem da raiz e do rizoma, como desenvolvidas na obra Mil Platôs. Nossa problematização visa compreender como se desenrola o embate entre a figura da Scherezade e a do Califa, ao longo da narrativa, apontando para o entendimento de que a personagem feminina, tanto na sua vida social como na função de contadora de histórias, assume uma subjetivação rizomática. Por outro lado, o sujeito masculino é figurativizado numa posição contrária, em que sua subjetividade está relacionada à conjectura da árvore-raiz, ao organismo estatal, tendo em vista sua conduta fixada e quase inalterável, sendo reconhecido pelo leitor como uma figura despotencializada.

 


Palavras-chave


PALAVRAS-CHAVE: Literatura; Filosofia; Identidade; Raiz; Rizoma.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.19134/eutomia-v1i24p296%20-%20314



 

Qualis (CAPES): B1 (Quadriênio 2013-2016)

Diretórios:


Indexadores:

 JURN: Get the research you need, free

Directory of Open Access Journals


Associação de revistas acadêmicas latinoamericanas de humanidades e ciências sociais

 

 

Institucional