Bibliotecas, ancoradouros seguros?

Maria Elisa Rodrigues Moreira

Resumo


Este artigo propõe uma reflexão acerca da relação que se pode estabelecer entre a literatura e a biblioteca, figura emblemática e metafórica que tangencia o campo literário e o articula às reflexões pertinentes à coleção, ao arquivo e à enciclopédia. Para tanto, tomo as obras de Jorge Luis Borges e Italo Calvino como objetos para se pensar a própria literatura como uma biblioteca, ou seja, para avaliar como o texto literário pode se converter em vetor da produção de saberes vários.


Texto completo:

PDF

Referências


ACHUGAR, Hugo. 1994. La biblioteca en ruinas: reflexiones culturales desde la periferia. Montevideo: Trilce.

BEHAR, Lisa Block de. 2004. El lugar de la biblioteca. In: ROMERO, Julia (Coord.). Jorge Luis Borges: Lectures d'une œuvre. Paris: Éditions du Temps, pp. 32-55.

BEHAR, Lisa Block de. 2012. Recordar, una palabra clave. In: CORNELSEN, Elcio Loureiro; VIEIRA, Elisa Amorim; SELIGMANN-SILVA, Márcio (Org.). Imagem e memória. Belo Horizonte: FALE/UFMG, pp. 23-40.

BENJAMIN, Walter. 2007. O colecionador. In: BENJAMIN, Walter. Passagens. Tradução de Irene Aron e Cleonice Paes Barreto Mourão. Belo Horizonte: Ed. UFMG; São Paulo: Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, pp. 237-246.

BORGES, Jorge Luis. 1999. La Biblioteca Total. In: BORGES, Jorge Luis. Borges en Sur 1931-1980. Buenos Aires: Emecê, pp. 24-27.

BORGES, Jorge Luis. 2007a. A biblioteca de Babel. In: BORGES, Jorge Luis. Ficções. Tradução de Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 69-79.

BORGES, Jorge Luis. 2007b. Funes, o memorioso. In: BORGES, Jorge Luis. Ficções. Tradução de Davi Arrigucci Jr. São Paulo: Companhia das Letras, 2007b. pp. 99-108.

BURKE, Peter. 2003. Uma história social do conhecimento: de Gutenberg a Diderot. Tradução de Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Jorge Zahar.

CALVINO, Italo. 1999. Se um viajante numa noite de inverno. Tradução de Nilson Moulin. São Paulo: Companhia das Letras.

CALVINO, Italo. 2001. Um general na biblioteca. In: CALVINO, Italo. Um general na biblioteca. Tradução de Rosa Freire D’Aguiar. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 74-79.

CALVINO, Italo. 2009. Para quem se escreve? (A prateleira hipotética). In: CALVINO, Italo. Assunto encerrado: discurso sobre literatura e sociedade. Tradução de Roberta Barni. São Paulo: Companhia das Letras, pp. 190-195.

CANFORA, Luciano. 1989. A biblioteca desaparecida: histórias da Biblioteca de Alexandria. Tradução de Federico Carotti. São Paulo: Companhia das Letras.

CHARTIER, Roger. 1994. A ordem dos livros: leitores, autores e bibliotecas na Europa entre os séculos XIV e XVIII. Tradução de Mary Del Priore. Brasília: Ed. UnB.

DERRIDA, Jacques. 2001. Mal de arquivo: uma impressão freudiana. Tradução de Cláudia de Moraes Rego. Rio de Janeiro: Relume Dumará.

JACOB, Christian. 2008a. Prefácio. In: BARATIN, Marc; JACOB, Christian (Org.). O poder das bibliotecas: a memória dos livros no Ocidente. Tradução de Marcela Mortara. 3. ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, pp. 9-17.

JACOB, Christian. 2008b. Ler para escrever: navegações alexandrinas. In: BARATIN, Marc; JACOB, Christian (Org.). O poder das bibliotecas: a memória dos livros no Ocidente. Tradução de Marcela Mortara. 3. ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, pp. 45-73.

LATOUR, Bruno. 2008. Redes que a razão desconhece: laboratórios, bibliotecas, coleções. In: BARATIN, Marc; JACOB, Christian (Org.). O poder das bibliotecas: a memória dos livros no Ocidente. Tradução de Marcela Mortara. 3. ed. Rio de Janeiro: Ed. UFRJ, pp. 21-44.

MANGUEL, Alberto. 2006. A biblioteca à noite. Tradução de Samuel Titan Jr. São Paulo: Companhia das Letras.

MOREIRA, Maria Elisa Rodrigues. 2007. Saber narrativo: proposta para uma leitura de Italo Calvino. Belo Horizonte: Tradição Planalto.

MOREIRA, Maria Elisa Rodrigues. 2012. Literatura e biblioteca em Jorge Luis Borges e Italo Calvino. Tese (Doutorado em Literatura Comparada) – Faculdade de Letras, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte.

MURGUIA, Eduardo Ismael. 2007. O colecionismo bibliográfico: uma reflexão sobre o livro apara além da informação. In: ENANCIB, 8, Salvador. Anais... Disponível em: www.enancib.ppgci.ufba.br/artigos/GT3—078.pdf. Acesso em 03 jul. 2009.

PAULS, Alan. 2004. El factor Borges. Barcelona: Anagrama.

POMBO, Olga. 2006a. O projecto enciclopedista. In: POMBO, Olga; GUERREIRO, António; ALEXANDRE, António Franco (Ed.). Enciclopédia e hipertexto. Lisboa: Duarte Reis, pp. 180-193.

POMBO, Olga. 2006b. Para uma história da ideia de enciclopédia. Alguns exemplos. In: POMBO, Olga; GUERREIRO, António; ALEXANDRE, António Franco (Ed.). Enciclopédia e hipertexto. Lisboa: Duarte Reis, pp.194-251.

POMBO, Olga. 2006c. O hipertexto como limite da ideia de enciclopédia. In: POMBO, Olga; GUERREIRO, António; ALEXANDRE, António Franco (Ed.). Enciclopédia e hipertexto. Lisboa: Duarte Reis, pp. 266-288.

SOUZA, Eneida Maria de. 2004. Saberes narrativos. Scripta, Belo Horizonte, v. 7, n. 14, p. 56-66.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.