A representação da relação entre homem/animal no conto “Meu tio o Iauaretê”, de Guimarães Rosa: uma abordagem ecocrítica

Edilane Rodrigues Bento Moreira, Naelza de Araújo Wanderley

Resumo


O presente artigo consiste numa leitura ecocrítica do conto “Meu tio o Iauaretê” de Guimarães Rosa, tendo como referencial teórico os estudos Almeida (2008), Garrard (2006), Lévi-Strauss (2008), entre outros, tendo como objetivo ressaltar como, na obra roseana, tanto os aspectos formais quanto discursivos sugerem uma preocupação primordial no que se refere a representação da relação entre o homem e os demais seres com os quais convive, apontando para uma íntima relação entre eles na qual as diferenças vão sendo apagadas ao longo da narrativa, possibilitando, além de um encantador prazer estético, uma reflexão profunda em torno dessa relação.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Maria do Socorro P. de. 2008. Homem, animal e espaço numa visão ecocrítica, em Graciliano ramos e Miguel Torga. In.: ALMEIDA, Maria do Socorro P. De; AZEVEDO, Sérgio Luiz Malta de. (Orgs) Espaço Interdisciplinar: Literatura, meio ambiente e relações sociais. Recife: Baraúna.

ARAÚJO, Adriana de Fátima Barbosa. Uma pesquisa sobre “Meu tio o iauaretê” de Guimarães Rosa: passos iniciais. Disponível em: Acesso em 15/10/10.05/10/10.

BORGES, Maria Zélia. A escolha do homem-onça, no conto “Meu tio o Iauaretê”. Revista todas as Letras I, vol. 08, n. 1, 2006. Disponível em: Acesso em: 20.03/2011.

BOSI, Alfredo. 2008. História concisa da literatura brasileira. 43ª ed., São Paulo: Cultrix. ______. (org.) 1977. Situação e formas do conto brasileiro contemporâneo. In: ______. O conto brasileiro contemporâneo. São Paulo: Cultrix.

CERPERO, Daniel Herrera. Conto versus novela. Disponível em:, Acesso em 15/10/10.

DAMATTA, Roberto. 1997. Carnavais, malandros e herois: para uma sociologia do dilema brasileiro. 6ª ed., Rio de Janeiro: Rocco.

D’ONÓFRIO, Salvatore. 2007. Literatura Ocidental: autores e obras fundamentais. 2ª ed., São Paulo: Ática.

GARRARD, Greg. 2006. Ecocrítica. Trad. Vera Ribeiro. Brasília: Editora

Universidade de Brasília.

LÉVI-STRAUSS, Claude. 2008. O pensamento selvagem. Trad. Tânia Pellegrini. 9ªed. Campinas (SP): Papirus.

PINTO, Ubirajara Santiago de Carvalho. 2006. Meu tio o iauaretê: o retorno poético. Anais da VIII Semana de Letras da Universidade Federal de Ouro Preto e do Instituto de Ciências Humanas e Sociais. ISBN: 85-288-0049-0. Disponível em: Acesso em 03/10/10.

RICOEUR, Paul. 1999. A metáfora viva. São Paulo: Loyola.

ROSA, Guimarães João. 1976. Estas Estórias. 2ª ed., Rio de Janeiro: José Olympio.

SILVA, Eli Brandão da. 2004. O símbolo na metáfora: fronteira entre o literário e o teológico. In: SILVA, Antonio de Pádua Dias da (org.). Literatura e Estudos Culturais. João Pessoa: Editora Universitária (UFPB).

SIMÕES, Darcília e MARTINS, Aira. 2004. Análise Fonoestilístico-semiótica do conto “Meu tio o Iauaretê”. In.: SIMÔES, Darcília. (org.) Estudos semióticos: Papéis avulsos Rio de Janeiro: Dialogarts. Disponível em: Acesso em 10/10/2010.

JOÃO GUIMARÃES Rosa – o mágico do reino das palavras. SIMÕES, Mônica. (direção e roteiro). Manaus: Pólo Imagem e TV PUC para a TV ESCOLA/MEC. 2001. DVD(29’53’’), son., color, Documentário da série Mestres da Literatura da TV Escola.

VALOIS, Michelle. Meu tio o Iauaretê – o tecido da obra nas malhas da onça. Revista Eutomia, Ano II – Nº 01 (171-190), 2009. Disponível em: < www.revistaeutomia.com.br> Acesso em: 06/10/10.

VENÂNCIO, Rita. Análise estilística e fonoestilística de fragmentos do conto Meu tio o Iauaretê, de João Guimarães Rosa, 2008. Disponível em: Acesso em 04/10/10.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.