Vinde, pastor desejado: entradas eclesiásticas no teatro de José de Anchieta

Márcio Ricardo Coelho Muniz

Resumo


Os textos teatrais de José de Anchieta vêm sendo avaliados prioritariamente em perspectiva catequética, como estratégias do processo de evangelização e domínio das comunidades indígenas coloniais. Não desconsiderando a pertinência desta abordagem, este trabalho observa os autos de Anchieta a partir de uma perspectiva de cunho político, interpretando-os no conjunto de ações assumidas pelo artista jesuíta em defesa de suas atividades missionárias. Para tanto, relaciona-os com um tipo específico de festividade colonial, as Entradas Eclesiásticas, que cumpriram papel fundamental no jogo político da Igreja para com a sociedade. O trabalho centrará seus comentários analíticos sobre o Auto da Crisma.

Texto completo:

PDF

Referências


ANCHIETA, José de. 1977. Teatro de Anchieta. Originais acompanhados de tradução versificada, introdução e notas pelo P. Armando Cardoso. São Paulo: Loyola. (V. 3 das Obras completas).

ANCHIETA 400 ANOS – Atas do Congresso Internacional. 1998. São Paulo: FJB Editora.

ANCHIETA EM COIMBRA – Actas do Congresso Internacional. 1998. Organização de Sebastião Tavares de Pinho e Luíza de Nazaré Ferreira. Coimbra: Fund. Eng. António de Almeida. 3 v.

BERARDINELLI, Cleonice. 1998. Anchieta, o Brasil e a função catequista do seu teatro. In. Anchieta em Coimbra – Actas do Congresso Internacional. Organização de Sebastião Tavares de Pinho e Luíza de Nazaré Ferreira. Coimbra: Fund. Eng. António de Almeida, p. 351-364. V. 1.

BLOCH, Marc. 1993. Os reis taumaturgos. Trad. de Júlia Júlia Mainardi. São Paulo: Cia das Letras. [1ª edição de 1924].

BOSI, Alfredo. 1992. Anchieta ou as flechas opostas do sagrado. In. –. Dialética da colonização. São Paulo: Cia das Letras, p. 64-93.

BOSQUEIRO, Josiane Maria. Um estudo do auto “Recebimento que fizeram os índios de Guaraparim ao Padre Provincial Marçal Beliarte”, atribuído ao Padre José de Anchieta. Trabalho apresentado no I Seminário de Pesquisas de Graduação do IEL/UNICAMP.

http://www.unicamp.br/iel/site/alunos/ publicacoes/textos/u00001.htm

CARDIM, Pedro. 2001. Entradas solenes: rituais comunitários e festas políticas, Portugal e Brasil, séculos XVI e XVII. In. JANCSÓ, István; KANTOR, Íris (Orgs.). Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa. São Paulo: Hucitec; EDUSP; Fapesp, p. 97-124. V. 1.

CARDOSO, P. Armando. 1977. Introdução histórico-literária. In. ANCHIETA, José de. Teatro de Anchieta. Originais acompanhados de tradução versificada, introdução e notas pelo P. Armando Cardoso. São Paulo: Loyola, p. 5-111 e notas seguintes. V. 3 das Obras completas.

DEBONI, Miriam Aparecida. 2009. Os recebimentos nos textos anchietanos como representação da chegada da salvação. Niterói, Revista Querubim – revista eletrônica de trabalhos científicos – Letras, Ciências Humanas e Ciências Sociais, ano 5, n. 8. http://www.uff.br/feuffrevistaquerubim/index.php?option=com_content&view=article&id=6&Itemid=6

JANCSÓ, István; KANTOR, Íris (Orgs.). 2001. Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa. São Paulo: Hucitec; EDUSP; Fapesp. 2 v.

MIGUEL, António Dias. 1986. Gil Vicente, mestre de retórica... das

representações. Revista Humanitas, Coimbra, n. 37-38, p. 267-73.

MIRANDA, Maria Margarida. 1998. Teatro jesuítico e teatro de Anchieta: nas origens. In. Anchieta em Coimbra – Actas do Congresso Internacional. Organização de Sebastião Tavares de Pinho e Luíza de Nazaré Ferreira. Coimbra: Fund. Eng. António de Almeida, v. 3, p. 951-962.

MUNIZ, Márcio R. C. 2008. Recebimentos e entradas: a cena política nos autos de Gil Vicente e José de Anchieta. In. Bravos companheiros e fantasmas: estudos críticos sobre o autor capixaba. Vitória: PPGL; UFES, p. 46-70. V. 3.

NEVES, Guilherme Santos. S/D. Visão de Anchieta. Vitória: Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo.

PAIVA, José Pedro. 2001. Etiqueta e cerimônias públicas na esfera da Igreja (séculos XVII-XVIII). In. JANCSÓ, István; KANTOR, Íris (Orgs.). Festa: cultura e sociabilidade na América portuguesa. São Paulo: Hucitec; EdUSP; Fapesp, p. 75-94. V. 1.

RODENAS, Maria Luísa. 1998. O teatro de Anchieta de um ponto de vista teatral. In. Anchieta em Coimbra – Actas do Congresso Internacional. Organização de Sebastião Tavares de Pinho e Luíza de Nazaré Ferreira. Coimbra: Fund. Eng. António de Almeida, p. 935-939. V. 3.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br 

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.