Um percurso ético fracassado: uma leitura de Ressurreição, de Machado de Assis

Acácio Luiz Santos

Resumo


Este artigo faz uma leitura da representação ética particular de Ressurreição, primeiro romance de Machado de Assis, com ênfase na ética passiva adotada pelo protagonista e em seu fracasso no decurso da narrativa. Ele sugere a relevância de um estudo interdisciplinar do eto discursivo e das estratégias de encenação de informação.

Texto completo:

PDF

Referências


ABBAGNANO, Nicola. 2000. Dicionário de Filosofia. 4 ed. São Paulo: Martins Fontes. — ASSIS, Machado de. 1967. Ressurreição; A mão e a luva. 5 ed.[sic] São Paulo: Cultrix.

CHARAUDEAU, Patrick. 2007. Discurso das mídias. 1 ed.1reimpr. São Paulo: Contexto.

MAINGUENEAU, Dominique. 2008. “A propósito do ethos”. In: MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana (org.). Ethos discursivo. São Paulo: Contexto, p. 11-29.

MOTTA, Ana Raquel; SALGADO, Luciana (org.). 2008. Ethos discursivo. São Paulo: Contexto. — NÖTH, Winfried. 2005. A Semiótica no século XX. 3 ed. São Paulo: Annablume.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.