A Imaginação em Chamas: A Tarde de uma Vaca, de William Faulkner

Sueli Cavendish

Resumo


A partir do conto “Tarde de uma vaca”, uma paródia de “L’après midi d’un Faune”, de Mallarmé, escrito por William Faulkner quando terminava Absalão, Absalão!, os processos formativos do jovem escritor são examinados. A análise se desenvolve no sentido de expor o mimetismo e as emulações de Faulkner, seus envolvimentos, enfim, com os simbolistas franceses, com os românticos e com os poetas Modernos, enquanto o autor, através de sua lírica, procurava uma voz própria.”

Texto completo:

PDF

Referências


BLANCHOT, Maurice. 1977. A Parte do Fogo. Rio de Janeiro: Rocco.

BLOTNER, Joseph. 1991. Faulkner: a biography. New York: Vintage Books.

COHEN, Marcelo. 1993. In: SAAVEDRA, Guillermo. La curiosidad impertinente. Rosário: Beatriz Viterbo, 1993.

EMERSON, Ralph Waldo. 1996. Homens Representativos. Rio de

Janeiro:Imago.

GIRARD, René. s.d. Doublé Business Bound: Essays on Literature, Mimesis an Anthropology. Baltimore: The Johns Hopkins University Press.

HAWTHORNE, Nathaniel. 2002. The Marble Faun. New York: Library of

America.

SENSIBAR, Judith L. s.d. The Origins of Faulkner’s Art. Austin: University of

Texas Press.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.