A influência do aspecto lexical na aquisição da morfologia verbal do português como L2

Ingrid Finger, Mônica Marques Gonçalves, Eliane Rauber Spuldaro

Resumo


Um experimento envolvendo dados de produção espontânea de quatro aprendizes de português como L2 foi desenvolvido visando verificar as predições da Hipótese da Primazia do Aspecto, segundo a qual o aspecto inerente dos verbos governa a aquisição da morfologia verbal em L2.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSEN, R.; SHIRAI, Y. 1994. Discourse motivations for some

cognitive acquisition principles. In: Studies in Second Language

Acquisition, v. 16, p. 133-156.

______. 1996. Primacy of aspect in first and second language

acquisition: The pidgin/creole connection. In: BHATIA, T. K.; RITCHIE, W. (Eds.). Handbook of second language acquisition. V.2. San Diego, CA:

Academic Press.

BARDOVI-HARLIG, K. 1994. Reverse-order reports and the

acquisition of tense: beyond the principle of chronological order.

Language Learning, v. 44, n.2, p.243-282.

______. 1998. Narrative structure and lexical aspect: conspiring

factors in second language acquisition of tense-aspect morphology.

Studies in Second Language Acquisition, v. 20, p. 471-508.

BLOOM, L.; LIFTER, K.; HAFITZ, J. 1980. Semantics of verbs and

the development of verb inflection in child language. Language, v. 56,

p.386-412.

CAMPOS, Odete et al. 1996. A flexão modo-temporal no português

culto do Brasil: Formas de Pretérito Perfeito e Imperfeito do indicativo.

In: CASTILHO, Ataliba; BASÍLIO, M. (Orgs.) Gramática do português

falado. Volume IV: Estudos descritivos: Campinas: Editora da Unicamp/Fapesp, p. 25-62.

COMRIE, B. 1976. Aspect. Cambridge, MA: Cambridge University

Press.

COSTA, S. B. B. 1997. O aspecto em português. São Paulo: Contexto.

DE VAL, Manuel Criado. 1992. El verbo. In: —. La imagen del tiempo: Verbo y relatividade. Madrid: Ediciones Istmo, SA, p. 25-49.

DUARTE, Inês; BRITO, Ana Maria. Predicação e classes de predicadores verbais. In: MIRA MATEUS, Maria Helena; BRITO, Ana

Maria; DUARTE, Inês; FARIA, Isabel Hub. 2003. Gramática da Língua

Portuguesa. Lisboa: Caminho, p. 179-203.

FINGER, Ingrid. 2000. Acquisition of L2 English verb morphology: the

aspect hypothesis tested. Porto Alegre: PUCRS, 2000. Tese (Doutorado

em Letras: Lingüística e Letras), Instituto de Letras e Artes, Faculdade de

Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

ILARI, Rodolfo. 1997. A expressão da duração. In: A expressão do

tempo em português. São Paulo: Contexto, p. 38-50.

______. 2001. Aspecto. In: Introdução à Semântica. São Paulo: Contexto, p. 19-50.

LEIRIA, ISABEL. 1994. Aquisição do aspecto verbal por falantes nãonativos de português europeu: o exemplo dos Pretéritos Perfeito e

Imperfeito. In: Revista Internacional de língua portuguesa, nº 11, p. 74-

MIGUEL, Elena de. 1999. El aspecto léxico. In: BOSQUE, Ignácio;

DEMONTE, Violeta (Orgs.). Gramática descriptiva de la lengua

española. Volume 2: Las construcciones sintáticas fundamentales;

relaciones temporales, aspectuales y modales. Madrid: Espasa Calpe, SA.

MONTRUL, Silvina; SLABAKOVA, Roumyama. 2002. Acquiring

semantic properties of preterite and imperfective tenses in L2 Spanish.

In: Proceedings of the 24th Annual Boston University Conference on

Language Development, vol 1. Sommerville, MA: Cascadillha Press.

OLIVEIRA, Fátima et al. 2003. Tempo e aspecto. In: MIRA MATEUS, Maria Helena; BRITO, Ana Maria; DUARTE, Inês; FARIA, Isabel Hub (Orgs.). Gramática da Língua Portuguesa. Lisboa: Caminho, p. 127-177.

SMITH, Carlota. 1983. A theory of aspectual choice. Language, v.59,

p. 479-501.

______. 1997. The parameter of aspect. Dordrecht: Kluwer.

VENDLER, Zeno. 1957. Verbs and times. In: Philosophical Review, v.

, p.143-160.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Investigações - Linguística e Teoria Literária. Programa de Pós-graduação em Letras da Universidade Federal de Pernambuco.

ISSN Edição Digital 2175-294X - ISSN Edições Impressas 0104-1320

www.ufpe.br/pgletras - www.pgletras.com.br

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.